Ed Ferreira/Estadão
Ed Ferreira/Estadão

Eduardo Cunha: o líder que transita em todos os cleros

Cunha é o candidato do PMDB à presidência da Câmara

Daniel Carvalho, O Estado de S. Paulo

31 de janeiro de 2015 | 17h30

Capacidade de articulação com partidos de todos os tamanhos, habilidade para circular com naturalidade pelos bastidores são características reconhecidas por aliados e adversários do favorito na disputa pela sucessão da Câmara, Eduardo Cunha(RJ), de 56 anos. 

Deputado que inicia agora o quarto mandato, conhece como poucos o regimento interno da Câmara. Sabe como ninguém driblar impedimentos e aproveitar brechas. Os adversários o chamam de "gênio do mal" e o comparam a Frank Underwood, senador inescrupuloso que protagoniza o seriado de ficção política House of Cards. O peemedebista rechaça a comparação.


Seu slogan de campanha resume a ideia que vendeu para os pares: "Câmara Independente, democracia forte".

Evangélico, atraiu o apoio das conservadoras bancadas evangélica e ruralista. Ao longo da campanha, viu seu nome envolvido na Operação Lava Jato, que investiga esquema de corrupção na Petrobrás. O candidato nega a acusação e defende a abertura de uma nova CPI mista no Congresso para apurar irregularidades na Petrobrás. 

Economista de formação, Cunha chegava ao gabinete da liderança do PMDB na Câmara antes das 9h. Nunca saía antes das 22h e às vezes entrava pela madrugada.

Tudo o que sabemos sobre:
CâmaraEduardo Cunha

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.