Ed Ferreira/Estadão - 23.12.2014
Ed Ferreira/Estadão - 23.12.2014

Eduardo Cunha diz ter 'segurança absoluta' de eleição no 1º turno

Peemedebista falou na saída do encontro com o PSDB e disse que é possível vencer no primeiro turno sem os votos da oposição

JOSÉ ROBERTO CASTRO E PEDRO VENCESLAU, Estadão Conteúdo

26 de janeiro de 2015 | 17h36

São Paulo - O deputado Eduardo Cunha, candidato do PMDB à presidência da Câmara dos Deputados, estava confiante ao deixar o encontro com deputados do PSDB de são Paulo, que oficialmente apoiam Julio Delgado (PSB-MG) na disputa. "A gente tem a segurança absoluta que vai ser resolvido no primeiro turno", disse o peemedebista, apostando na polarização entre sua candidatura e a do petista Arlindo Chinaglia.

Questionado se este prognóstico levava em conta possíveis dissidências no bloco de oposição liderado pelo PSDB, Cunha desconversou. Para ele, é possível vencer no primeiro turno sem os votos da oposição.

Tucanos reiteraram a intenção da bancada de São Paulo de apoiar Júlio Delgado, mas admitiram a possibilidade de apoiar Cunha caso a candidatura do PSB não emplaque ou mesmo seja retirada por falta de base de apoio.

Mais cedo, o presidente estadual do PSDB Duarte Nogueira havia dito que a bancada paulista "caminharia" com Delgado. Após a reunião com Cunha, o tucano disse que, como o voto é secreto, era impossível garantir que não haveria dissidências.

O candidato do PMDB aposta na polarização para que a disputa seja decidida em primeiro turno, mas pregou respeito a Delgado, o candidato oficial da oposição. "Na medida em que o outro se lança candidato, a gente tem que, por respeito a ele, deixar que ele faça a campanha", afirmou. "O processo tende a se acirrar, se polarizar por natureza", disse Cunha.

*
Tudo o que sabemos sobre:
CâmaraEduardo cunhaPSDB

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.