Eduardo Campos retoma programa Chapéu de Palha em PE

O programa Chapéu de Palha, que teve grande impacto social ao ser lançado no segundo governo Miguel Arraes (1986-1990), foi recriado nesta quarta-feira, 18, por decreto, pelo seu neto, o governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB). O programa visa a atender o trabalhador da área canavieira, na época da entressafra, na zona da mata do Estado. A estimativa é de que 60 mil canavieiros estejam sem trabalho.Um grupo vai definir o conceito do programa que deverá ser lançado oficialmente, no início de maio. Emergencialmente, terá duração de quatro meses. A intenção, no entanto, é tornar a iniciativa permanente, como reivindica a Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado (Fetape), ligada à Contag.O Chapéu de Palha da época de Arraes pagava um salário mínimo ao sem-trabalho da entressafra que, em troca, fazia pequenas obras públicas. A nova versão - que ainda não tem valor definido - pretende alfabetizar, dar formação profissional a jovens e preservar e recuperar o meio ambiente da região."É na zona da mata onde temos o maior nível de desmatamento histórico do Estado, há pouca mata, os recursos hídricos estão agredidos, assim como os mangues", frisou o governador, ao informar que os beneficiados irão atuar na recomposição da mata ciliar e de leitos de rios além de criar viveiros de mudas, entre outras ações. Ele adiantou que não haverá exclusão de famílias no Chapéu de Palha, caso alguém receba o Bolsa-Família do governo federal.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.