Eduardo Campos diz que PSB só decide aliança em SP em junho

O presidente nacional do PSB, governador de Pernambuco, Eduardo Campos, disse ao ex-presidente Lula, em reunião neste domingo, na sua casa, em São Bernardo do Campo, que somente em junho o PSB vai decidir quem apoiar na eleição de São Paulo. "Não há decisão antes de junho", afirmou Eduardo em entrevista à Rádio Folha, local, por telefone, em São Paulo, antes de embarcar para Brasília, onde cumpre agenda administrativa. Segundo ele, como não há consenso, o processo de debate vai passar pela direção municipal, direção estadual, até chegar à direção nacional do seu partido. E isto, segundo ele, foi dito a Lula, que quer o apoio dos socialistas para seu candidato, Fernando Haddad. Em São Paulo o PSB é aliado do PSDB.

Angela Lacerda, correspondente no Recife

26 de março de 2012 | 18h27

O governador também deu entrevista à Rádio Jornal, do grupo Jornal do Commercio, quando reforçou não ter havido uma conversa específica, com o ex-presidente, sobre as eleições em São Paulo e Recife. Segundo ele, há um levantamento inicial onde os dois partidos - PSB e PT - disputam eleições. "Apresentamos lugares onde seria possível o PT nos apoiar e eles levantaram as prioridades para eles: São Paulo e Recife", disse o governador, que estava acompanhado, no encontro com Lula, do presidente do PT, Rui Falcão, do prefeito de São Bernardo do Campo, Luiz Marinho e do vice-presidente nacional do PSB, Roberto Amaral. "Disse que em Recife e Fortaleza, capitais de Estados governados pelo PSB, nossa posição e de Cid (Gomes) é pela manutenção da aliança", observou. "Estamos no aguardo de debate interno do PT para em seguida construirmos a unidade com outros partidos da frente popular".

No Recife, o prefeito João da Costa (PT) não consegue unir a sigla em torno da sua reeleição e uma ala do partido, a Construindo um Novo Brasil, lançou o nome do deputado federal Maurício Rands, que é secretário de Eduardo Campos. O governador disse respeitar os dois e que não veta nenhum nome que o PT venha a indicar. "Qualquer companheiro que possa representar o conjunto da frente poderá ter nosso apoio".

Eduardo disse que o ex-presidente está bem, com o espírito elevado e a cabeça animada e que pretende retomar suas atividades em maio.

Tudo o que sabemos sobre:
eleiçõesSPPSBEduardo Campos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.