Eduardo Campos diz que PSB já venceu 'primeiro round' em Recife

Nas últimas pesquisas, Geraldo Julio (PSB) cresceu 7 pontos percentuais, alcançando 12% das intenções de voto

Ricardo Chapola, de O Estado de S. Paulo

13 de agosto de 2012 | 23h07

O governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), elogiou na noite desta segunda-feira, 13, o desempenho do candidato do seu partido na sucessão municipal de Recife. Segundo o governador, o PSB já venceu o primeiro round na capital. Nas últimas pesquisas, Geraldo Júlio (PSB) apresentou crescimento de 7 pontos percentuais, chegando aos 12% das intenções de voto, contra uma queda de 5 pontos de Humberto Costa (PT), que fechou com 35%.

"Em Recife, temos a compreensão de que ganhamos o primeiro round. Vamos para o segundo", disse o governador, se referindo à etapa após o início do programa eleitoral gratuito, qe começa dia 21. Campos esteve em SP para receber o prêmio de "Economista do Ano" da Ordem Dos acondimentas do Brasil (OEB).

Geraldo Júlio foi a alternativa do governador para a sucessão no Recife, após tentativas de articular com o PT o lançamento da candidatura de seu aliado Maurício Hands (PT), preterido pelo partido. O crescimento de seu candidato se deve, avaliou, devido ao espaço que o cenário político que Recife oferece.

Ele analisou o contrário para São Paulo. Na capital paulista, Campos apoia a candidatura de Fernando Haddad (PT), ainda estacionado nas pesquisas, com 6% das intenções de voto. "Antes da TV, aconteceu o que tinha que acontecer: quem não era conhecido ficou parado, por mais que se esforçassem, e quem era conhecido ficou praticamente com o que já tinha quando largou", comentou. "Em Recife, havia mais espaço político para o crescimento de Geraldo Júlio, mais frente política. Isso pode ter ajudado ele a crescer".

Crítica. O tom não foi agressivo, como costuma não ser ao tecer qualquer crítica a algum aliado. Na última segunda, questionado sobre a decisão de o PT proibir o uso da imagem da presidente Dilma Rousseff na campanha em Recife, onde os partidos são adversários, o governador manteve a postura. "É preciso que a gente se lembre do dia de amanhã. Cada um faz a campanha que sabe fazer", disse Campos.

O presidente nacional do PT, Rui Falcão, ameaçou entrar na Justiça contra partidos que tentassem pegar carona na boa popularidade de Dilma. Em Recife, a sigla proibiu que Geraldo Júlio usasse o nome da presidente no jingle.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.