Eduardo Bolsonaro participa de ato em Juiz de Fora um ano após facada

Culto ecumênico no local do atentado contou com trio elétrico em horário comercial

Matheus Andrade, especial para O Estado, O Estado de S.Paulo

06 de setembro de 2019 | 20h26

JUIZ DE FORA - No cruzamento entre as ruas Halfeld e Batista de Oliveira, no centro de Juiz de Fora, apoiadores de Jair Bolsonaro realizaram, nesta sexta-feira, 6,  um culto ecumênico no local exato onde o presidente sofreu um atentado há um ano. Em cima de um trio elétrico, apoiadores do presidente discursaram, entre eles o filho e deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL). O ato religioso durou cerca de uma hora.  

O número de presentes foi inferior a outros atos em apoio ao presidente, mas o local e a hora - o centro da cidade às 18h - deu força à manifestação. Quem passava pela Rua Halfeld, uma das mais movimentadas na cidade, dificilmente ficava indiferente ao ato. Entre os gritos dos apoiadores, "queremos Eduardo embaixador do Brasil" foi repetido algumas vezes, mencionando a possível indicação de Eduardo para a embaixada do Brasil em Washington. 

Em seu discurso, Eduardo não falou sobre o tema, focando apenas no ocorrido no último ano. Ele agradeceu os profissionais da Santa Casa de Misericórdia e disse que havia nascido outra vez. Paulista de "nascimento" e mineiro de "coração" foram os termos usados.

Apoiadores usavam camisas tradicionais de apoio ao presidente. Um poster em tamanho real de Bolsonaro foi usado para os apoiadores fazerem diversas fotos. Chegou haver um princípio de tumulto após opositores posarem hostilizando a imagem.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.