Eduardo: Vinicius Loures/Câmara dos Deputados | Bia: Dida Sampaio/ESTADÃO
Eduardo: Vinicius Loures/Câmara dos Deputados | Bia: Dida Sampaio/ESTADÃO

Eduardo Bolsonaro, Bia Kicis e mais 5 deputados são alvo de processos no Conselho de Ética da Câmara

Entre as acusações estão incitação de motim, desinformação sobre a pandemia de covid-19 e mais

Natália Santos, O Estado de S.Paulo

28 de abril de 2022 | 16h15

O Conselho de Ética da Câmara dos Deputados instaurou sete processos por quebra de decoro parlamentar na tarde desta quarta-feira, 27. Seis deputados bolsonaristas são alvo das ações: Bia Kicis (PL-DF), Carla Zambelli (PL-SP), Éder Mauro (PL-PA), Eduardo Bolsonaro (PL-SP), Soraya Manato (PTB-ES) e Wilson Santiago (Republicanos-PB). Os relatores ainda serão sorteados por uma lista tríplice.

O colegiado, presidido pelo deputado Paulo Azi (União Brasil-BA), estava sem reuniões desde o dia 23 de novembro de 2021. Segundo a assessoria do conselho, os trabalhos não foram desativados nesse período, estando aberto para consultas de parlamentares. A assessoria também afirmou que não houve apreciação nesses cinco meses porque não havia representações a serem analisadas, já que a Mesa Diretora não enviou nenhuma peça.

As representações contra a deputada Bia Kicis afirmam que a parlamentar quebrou o decoro ao publicar conteúdos que incitavam motim da Polícia Militar da Bahia contra o governador do Estado, Rui Costa (PT).

A deputada Carla Zambelli é acusada pelo PT por fazer publicações que incitavam a população contra as medidas sanitárias para contenção da pandemia de covid-19.

O PSOL e o PT acusaram o deputado Delegado Éder Mauro de quebra de decoro ao realizar postagens em redes sociais com ofensas direcionadas às mulheres integrantes da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). 

As mesmas ofensas também renderam uma representação contra o deputado Eduardo Bolsonaro, assinada por PSB, PT, PDT, PSOL e PCdoB. Além disso, o filho do presidente Jair Bolsonaro ainda foi acusado pelo PT e pelo PDT de quebra de decoro por causa de vídeo divulgado em suas redes sociais em que incentiva a não utilização de máscaras de proteção durante a pandemia de covid-19. 

A deputada Dra. Soraya Manato é acusada pelo PT por quebrar o decoro ao publicar mensagens ofensivas nas redes sociais contra o senador Humberto Costa (PT-PE).

O deputado Wilson Santiago é acusado pelo partido Novo de ter sido denunciado pela Procuradoria-Geral da República (PGR), em 2019, pelos crimes de organização criminosa e corrupção passiva. Em fevereiro de 2020, a Câmara dos Deputados derrubou a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) pelo afastamento do parlamentar.

O Estadão entrou em contato com os deputados acusados, mas não recebeu retorno até a publicação desta reportagem.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.