SERGIO CASTRO/ESTADÃO
SERGIO CASTRO/ESTADÃO

Edson Aparecido deixará governo de SP na sexta-feira

Secretário da Casa Civil perdeu espaço no governo por não ter feito campanha para o empresário João Doria nas prévias do partido

Pedro Venceslau, O Estado de S.Paulo

22 de março de 2016 | 19h00

O secretário da Casa Civil de São Paulo, Edson Aparecido, deixará na sexta-feira, 25, o cargo e deve ser candidato a vereador pelo PSDB na capital. Seu substituto interino será o secretário adjunto, Fabricio Cobra Arbex.

Aparecido era o responsável pela articulação política do Palácio dos Bandeirantes e foi coordenador da campanha de reeleçião do governador Geraldo Alckmin em 2014. Em 2016, porém, perdeu espaço no governo por não ter feito campanha para o empresário João Doria nas prévias do partido. Doria, que será candidato à Prefeitura pelo PSDB, foi apoiado pelo governador na disputa interna contra o vereador Andrea Matarazzo. 

Quando a informação sobre a saída de Edson foi revelada pelo Estado, no dia 5 de março, o Palácio dos Bandeirantes negou a mudança. A gota d’água que azedou a relação entre Alckmin e Aparecido foi um discurso do secretário, em um ato de encerramento da pré-campanha de Doria, no qual ele pregou unidade ao PSDB, exaltou os quadros “históricos” do partido, mas não declarou voto no empresário. O governador não teria gostado da atitude do auxiliar.

Dirigentes tucanos dizem de forma reservada que a disputa pela vaga de candidato à Prefeitura de São Paulo causou um racha irreversível no partido.

Também colaborou para o desgaste de Aparecido a citação à compra de um imóvel em Moema, zona sul da capital. O tucano teria adquirido um apartamento que pertencia a um empresário cuja empresa presta serviços ao governo estadual.

O secretário nega irregularidades na negociação e contesta a reportagem publicada sobre o assunto pela imprensa. Outro episódio que incomodou o governador foi o surgimento do nome do ex-chefe de gabinete da Casa Civil, Luiz Roberto dos Santos, o “Moita”, nas investigações da Operação Alba Branca, que apura fraudes na merenda escolar em prefeituras do Estado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.