Edir Macedo abre novo canal de TV e ataca ''''monopólio'''' da Globo

Serra e Lula elogiaram iniciativa de empresário, que na solenidade não foi apresentado como ?bispo? da Universal

Silvia Amorim, Ricardo Brandt e Keila Jimenez, O Estadao de S.Paulo

28 Setembro 2007 | 00h00

Apresentado apenas como empresário, o fundador da Igreja Universal do Reino de Deus (Iurd), Edir Macedo, inaugurou ontem - ao lado do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, do governador José Serra e do prefeito Gilberto Kassab - o canal Record News, fazendo críticas ao "monopólio" da Rede Globo. Em um discurso breve, mas irônico, o "bispo" Macedo, como é apresentado habitualmente, desfiou indiretas à emissora concorrente. "Fomos injustiçados por um grupo de comunicação que mantém o monopólio da informação", afirmou. "Daí surgiu o nosso desejo de levar o fim desse monopólio e dar às pessoas o direito de se informarem por um outro canal de notícia e formarem opinião por si mesmas."Exaltando a importância da "democratização da informação", Macedo fez questão de ressaltar que um dos motivos de orgulho para a nova emissora é o fato de que oferecerá com o novo canal informação "de graça" aos brasileiros 24 horas por dia, um feito inédito no País.Mais tarde, em entrevista, respondeu assim à pergunta sobre se era à Globo que se referia quando falou em monopólio. "Você conhece outro monopólio?" Mas se afastou dos jornalistas quando questionado sobre os carnês da Iurd para que os fiéis colaborem com a expansão das rádios da igreja.A Central Globo de Comunicação informou que a direção da emissora carioca não comentaria as declarações do proprietário da Record.De uma platéia formada por políticos, empresários, artistas e funcionários da Rede Record, Macedo arrancou aplausos. A cerimônia durou cerca de 30 minutos e contou com a presença dos ministros Orlando Silva (Esportes), Marta Suplicy (Turismo), do presidente da Câmara, Arlindo Chinaglia, do senador Romeu Tuma e da desembargadora Marli Ferreira do Tribunal Regional Federal da 3ª Região, que representou a ministra Ellen Gracie, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF).Convidado de honra, Lula, ao lado de Macedo, apertou o botão que simbolicamente colocou a nova emissora no ar ontem às 20 horas. Em São Paulo, a emissora transmite pelo canal 42 UHF, 20 na TVA digital e 93 na Net Digital. A cerimônia foi encerrada com a interpretação do Hino Nacional pela cantora Fafá de Belém.DISCURSOSLula e Serra, que tiveram a oportunidade de discursar, elogiaram a iniciativa da Record, mas não citaram o nome de Macedo em seus pronunciamentos."Estou certo de que todos os envolvidos na criação e operação da Record News têm a competência e dedicação necessárias para continuar trabalhando em prol do avanço e da maior democratização da comunicação do Brasil para levar aos brasileiros, de forma independente e equilibrada, informações e os debates mais relevantes para o presente e futuro da sociedade", disse Lula.Serra destacou o caráter regionalizado da programação. "Essa nova emissora amplia a diversidade de opiniões. Uma das inovações é a regionalização da notícia."Lula aproveitou o debate sobre a comunicação no País para reafirmar que seu governo defenderá sempre a liberdade de imprensa. "Hoje a imprensa conta com plena liberdade para exercer sua missão. A Constituição e as leis garantem a livre atuação. A essas garantias se somam o firme compromisso do governo de não permitir qualquer tipo de cerceamento ao exercício da liberdade de imprensa no nosso País."Lula encerrou seu discurso citando um trecho do Hino à Proclamação da República, que virou samba. "Toda vez que eu participo da inauguração de um jornal, televisão ou rádio, seria importante que todos nós pudéssemos dizer uma frase que, para mim, cala muito fundo: Liberdade! Liberdade! Abre as asas sobre nós!"INVESTIMENTO A Record News é o primeiro canal em TV aberta dedicado exclusivamente à transmissão de notícias. Sua estréia ocorre 54 anos após a inauguração da Rede Record. Canais similares, comandados pela Globo e pela TV Bandeirantes, como a Globonews e a Bandnews, respectivamente, são transmitidos hoje apenas via TV a cabo. A Record investiu US$ 7 milhões no projeto, segundo a empresa. FRASESEdir MacedoFundador da Universal"Fomos injustiçados por um grupo de comunicação que mantém o monopólio da informação. (...) Daí surgiu o nosso desejo de levar o fim desse monopólio e dar às pessoas o direito de se informarem por um outro canal de notícia e formarem opinião por si mesmas"Luiz Inácio Lula da SilvaPresidente"Estou certo de que todos os envolvidos na criação e operação da Record News têm a competência e dedicação necessárias para continuar trabalhando em prol do avanço e da maior democratização da comunicação do Brasil"José SerraGovernador"Essa nova emissora amplia a diversidade de opiniões. Uma das inovações é a regionalização da notícia"

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.