JF Diorio/Estadão
JF Diorio/Estadão

Edinho Silva é escolhido para Secretaria de Comunicação da Presidência

Ex-deputado e tesoureiro da campanha de Dilma Rousseff em 2014 vai assumir a vaga deixada por Thomas Traumann após vazamento de documento interno do Planalto revelado pelo 'Estado'

Rafael Moraes Moura e Ricardo Della Coletta, O Estado de S. Paulo

27 Março 2015 | 13h04

BRASÍLIA - O tesoureiro da campanha à reeleição da presidente Dilma Rousseff, Edinho Silva (PT), foi indicado novo ministro da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República (Secom), informou em nota o Palácio do Planalto nesta sexta-feira, 27. A posse de Edinho está marcada para a próxima terça-feira, 31, às 11 horas, no Palácio do Planalto. 

Da corrente interna Construindo um Novo Brasil (CNB), majoritária no PT e a mesma do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Edinho assume a Secom no lugar do jornalista Thomas Traumann, que pediu demissão nessa quarta-feira, 25, depois de o portal estadao.com.br revelar o conteúdo de um documento reservado do Palácio do Planalto que via "caos político" e criticava a "comunicação errática" do governo federal.

O novo ministro afirmou ter recebido o convite para suceder Traumann "com muita alegria, mas com muita responsabilidade" e prometeu "honrar a confiança da presidente de Dilma para o cargo", disse ele ao Broadcast, serviço em tempo real da Agência Estado, logo após deixar o Palácio do Planalto, em Brasília. "Não conversei nem com meus filhos ainda", brincou.

'Caos político'. Traumann pediu demissão do cargo a Dilma uma semana depois da revelação de um documento reservado do Palácio do Planalto que vê "caos político". O texto dizia ainda que os apoiadores da presidente estão levando uma "goleada" da oposição nas redes sociais e apontava como saída o investimento maciço em publicidade oficial em São Paulo, cidade administrada por Fernando Haddad (PT), que se tornou o epicentro das manifestações de 1 de março contra Dilma. O vazamento do documento teria irritado a presidente, segundo pessoas próximos à petista.

As únicas declarações dadas pelo jornalista após o pedido de demissão foram feitas via redes sociais. No Twitter, Tramann publicou trechos da música "Novos Rumos", do cantor Paulinho da Viola. 

"Vou imprimir novos rumos/ Ao barco agitado que foi minha vida", escreveu Traumann no Twitter, na tarde desta quarta-feira, 25. "Fiz minhas velas ao mar/ Disse adeus sem chorar/ E estou de partida." "Todos os anos vividos/ São portos perdidos que eu deixo pra trás/ Quero viver diferente/ Que a sorte da gente/ É a gente que faz", prosseguiu o jornalista.

Mais conteúdo sobre:
Edinho SilvaSecomDilma Rousseff

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.