JF Diorio/Estadão
JF Diorio/Estadão

Edinho admite que governo pode corrigir desequilíbrios na Lei do Direito de Resposta

'Se a aplicação da lei comprovar algum desequilíbrio, isso pode ser corrigido', afirmou o ministro da Secom

Ana Fernandes e Ricardo Galhardo, O Estado de S.Paulo

17 de novembro de 2015 | 10h56

São Paulo - O ministro da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República, Edinho Silva, disse nesta manhã que o governo pode corrigir eventuais desequilíbrios na Lei de Direito de Resposta. "Se a aplicação da lei comprovar algum desequilíbrio, isso pode ser corrigido", afirmou.

O ministro disse ainda que a lei, criticada por veículos de comunicação, chegou à presidente Dilma Rousseff respaldada pela aprovação nas duas casas legislativas, Câmara e Senado.

Ele também afirmou que o governo não tem problemas com veículos de comunicação que são críticos ao governo na linha editorial. Em um evento na capital paulista, o ministro afirmou que as críticas do governo se direcionam a matérias "editorializadas". "O que achamos ruim é adjetivação. Quando a matéria é toda editorializada, marcada por adjetivos, isso deixa de ser jornalismo", afirmou.

Edinho reafirmou a importância do jornalismo, que chamou de efetivamente o "quarto poder", sem o qual não há democracia. Disse ainda que ele sempre defendeu a liberdade de imprensa bem como a presidente Dilma o faz. O ministro reforçou que sua pasta destina verbas de publicidade oficial apenas pelo critério técnico de audiência de cada veículo. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.