JF Diorio/Estadão
JF Diorio/Estadão

Edinho admite que governo pode corrigir desequilíbrios na Lei do Direito de Resposta

'Se a aplicação da lei comprovar algum desequilíbrio, isso pode ser corrigido', afirmou o ministro da Secom

Ana Fernandes e Ricardo Galhardo, O Estado de S.Paulo

17 Novembro 2015 | 10h56

São Paulo - O ministro da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República, Edinho Silva, disse nesta manhã que o governo pode corrigir eventuais desequilíbrios na Lei de Direito de Resposta. "Se a aplicação da lei comprovar algum desequilíbrio, isso pode ser corrigido", afirmou.

O ministro disse ainda que a lei, criticada por veículos de comunicação, chegou à presidente Dilma Rousseff respaldada pela aprovação nas duas casas legislativas, Câmara e Senado.

Ele também afirmou que o governo não tem problemas com veículos de comunicação que são críticos ao governo na linha editorial. Em um evento na capital paulista, o ministro afirmou que as críticas do governo se direcionam a matérias "editorializadas". "O que achamos ruim é adjetivação. Quando a matéria é toda editorializada, marcada por adjetivos, isso deixa de ser jornalismo", afirmou.

Edinho reafirmou a importância do jornalismo, que chamou de efetivamente o "quarto poder", sem o qual não há democracia. Disse ainda que ele sempre defendeu a liberdade de imprensa bem como a presidente Dilma o faz. O ministro reforçou que sua pasta destina verbas de publicidade oficial apenas pelo critério técnico de audiência de cada veículo. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.