ECT intensifica segurança em centros de distribuição

A Empresa de Correios e Telégrafos (ECT) intensificará as medidas de segurança que são adotadas nos seus centros de distribuição. De acordo com comunicado da empresa, todos os empregados envolvidos no manuseio de objetos e correspondências dos diversos centros de tratamento e distribuição da empresa usarão, a partir de agora, luvas e máscaras.A preocupação dos Correios é garantir o maior controle possível sobre todo material que circula dentro do País, depois da série de atentados bioterroristas registrada nos Estados Unidos, com a utilização da bactéria do antraz. "O Correio brasileiro não está medindo esforços para levar tranqüilidade à população e aos seus clientes, em particular", afirma a direção da empresa, na nota divulgada.Todos os objetos e correspondências vindas do exterior e destinados a embaixadas e consulados terão que passar pelos equipamentos de detecção dos Correios. Além disso, os objetos que forem enviados para empresas multinacionais, organismos internacionais sediados no País, órgãos públicos e veículos de comunicação - como jornais, rádios e redes de televisão - também deverão sofrer um exame mais apurado.Objetos e correspondências que venham do exterior com "características suspeitas" - como, por exemplo, em envelope sem remetente - também serão inspecionados. Esses cuidados também serão tomados com as correspondências enviadas do Brasil para o Exterior.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.