Economista Jeffrey Sachs pede que Lula ?fale mais alto?

Assessor especial das Nações Unidas e um dos economistas mais prestigiados do mundo, o americano Jeffrey Sachs elogiou a atuação do governo brasileiro e afirmou que o mundo precisa da liderança do presidente Luiz Inácio Lula da Silva para a criação de uma nova ordem internacional voltada para o desenvolvimento econômico com justiça social. "Tudo o que posso pedir é que o presidente Lula fale mais alto. Fale ainda mais alto, senhor presidente, porque o senhor é uma voz importante na luta contra a pobreza mundial", disse Sachs à BBC Brasil.O economista está em Estocolmo para participar da Conferência Internacional sobre a Luta contra a Pobreza, evento que reúne representantes dos governos de mais de 30 países ? incluindo o brasileiro Darci Bertholdo ? e que tem como objetivo debater estratégias para a implementação da Declaração do Milênio da ONU, cuja meta é reduzir à metade a pobreza extrema e a mortalidade no mundo até o ano 2015.Eis trechos da entrevista de Jeffrey Sachs à BBC Brasil: BBC Brasil - O Brasil está cumprindo as exigências da Declaração do Milênio para atingir as metas de redução da pobreza até o ano 2015?O Brasil está num caminho muito bom. O que o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso fez em várias áreas foi tremendamente importante, lançando por exemplo as bases para a educação da população - o que é ó timo para o Brasil. E fico extremamente satisfeito ao ver que o presidente Lula está não apenas dando continuidade a essas ações, mas indo além e adotando novas iniciativas em diferentes setores. Há um ano, o Brasil estava supostamente à beira do colapso, e hoje está em condições estáveis para o crescimento. Recentemente, publiquei um artigo afirmando que o Brasil será uma economia dinâmica nos próximos anos, e estou muito otimista. BBC Brasil - Como o senhor avalia a atuação do Brasil nos esforços para reduzir a pobreza, em comparação com os demais países?Felizmente, o Brasil é um país de renda média, ao contrário de países na África subsaariana que são de fato pobres. Portanto, o Brasil possui meios para enfrentar a luta contra a pobreza. Por muito tempo, o Brasil foi uma sociedade dividida entre ricos e pobres, com uma grande desordem econômica que durou 25 anos. Não havia condições para buscar soluções para os problemas. A partir do governo anterior (do presidente Fernando Henrique Cardoso), passo a passo a crise foi sendo superada. O que realmente me impressionou no governo Fernando Henrique foi o seu êxito em levar os brasileiros à escola em todo o país - brancos e negros, com muito mais igualdade de oportunidades. A educação secundária cresceu tremendamente, e eu gostaria de ver todos os brasileiros alcançando esse estágio, e uma proporção maior de brasileiros chegando à universidade. Isso vai transformar o Brasil numa sociedade extremamente dinâmica, sem o grande abismo entre ricos e pobres que tem mutilado o país por tanto tempo. O que todos esperamos e já vemos no governo do presidente Lula é um governo responsável, com compaixão social. BBC Brasil - O senhor acha que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva vem exercendo um papel de liderança importante na luta mundial contra a fome e a pobreza? Sachs - O presidente Lula está desempenhando um papel de liderança em duas frentes. No Brasil, Lula realmente conseguiu trazer o país de volta à normalidade, depois do risco de colapso criado pelos temores infundados dos mercados financeiros internacionais. Porque, nos Estados Unidos, muitas pessoas disseram "Oh meu Deus, um presidente de esquerda está sendo eleito, temos que tirar o nosso dinheiro de lá". O que Lula mostrou foi responsabilidade e boa administração, e foi isto que abortou a crise e criou as condições para o crescimento econômico. Mas o presidente Lula está fazendo ainda mais. Ele está enfrentando o problema da fome no Brasil, e muitas instituições internacionais estão impressionadas e dispostas a ajudá-lo. Mas principalmente, o presidente Lula é hoje uma voz importante para o mundo. Tudo que eu posso pedir é que ele fale mais alto. Fale ainda mais alto, senhor presidente, porque o senhor é uma voz importante na luta contra a pobreza mundial. Nós realmente precisamos da liderança do presidente Lula, juntamente com seus novos parceiros ? como o Presidente Thabo Mbeki, da África do Sul, e o primeiro-ministro da Índia, Atal Behari Vajpayee, ? e outros líderes do mundo em desenvolvimento, para levantar e dizer que a agenda mundial não é a agenda estabelecida apenas pelos Estados Unidos, ou pelos países ricos do G-8.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.