É fator de insegurança e instabilidade conviver com dois presidentes, diz Moreira Franco

Para ele, o processo do impeachment 'se alonga além do necessário' e citou cargos cujos titulares estão afastados, mas sem citar nomes

Luciana Nunes Leal e Vinicius Neder, O Estado de S. Paulo

20 de junho de 2016 | 10h13

RIO - O secretário-executivo do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), Moreira Franco, afirmou há pouco que o alongamento do processo de impeachment da preside Dilma Rousseff causa insegurança e instabilidade. “É um fator que causa insegurança e instabilidade conviver com dois presidentes”, afirmou Moreira, em palestra de abertura de um seminário na Fundação Getulio Vargas (FGV), no Rio.

Para Moreira, o processo do impeachment “se alonga além do necessário”. O secretário do PPI afirmou ainda que dificilmente o País viverá situação político-institucional tão crítica como a atual. Para exemplificar, Moreira citou que a presidente da República está afastada, o presidente da Câmara dos Deputados está afastado e o presidente do Senado Federal teve a prisão pedida pela Procuradoria Geral da República, mas não citou os nomes de Dilma, Eduardo Cunha e Renan Calheiros, respectivamente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.