É 'residual' divergência de Dirceu com PT-RS, diz Tarso

Ministro comenta declaração de ex-chefe da Casa Civil à 'Piauí' de que sede teria sido construída com caixa 2

LEONÊNCIO NOSSA, Agencia Estado

04 de janeiro de 2008 | 13h56

O ministro da Justiça, Tarso Genro, considerou "residual" a divergência do deputado cassado e ex-ministro da Casa Civil, José Dirceu, com o PT gaúcho. Dirceu, em entrevista à revista Piauí deste mês, afirmou que recursos do caixa 2 financiaram a construção da sede do PT em Porto Alegre e atacou líderes petistas do Estado, como Raul Pont e Olívio Dutra. Após despacho com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no Palácio do Planalto, Tarso comentou, depois de muita insistência dos jornalistas, a entrevista de Dirceu. "Eu não tenho informações sobre isso. É um contencioso que ele (Dirceu) estabeleceu com o ex-diretório do partido no Estado", afirmou. Tarso relatou que, no encontro com o presidente Lula, apresentou um balanço das ações do Ministério da Justiça. Segundo ele, 99,5% dos recursos previstos no orçamento do ministério, no ano passado, foram executados. Ele informou que em 2008, só na área do sistema penitenciário, deverão ser empenhados R$ 750 milhões.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.