É preciso investir mais em tecnologia, diz FHC

O presidente Fernando Henrique Cardoso reconheceu hoje que o desempenho do Brasil na área tecnológica não foi tão "marcante" quanto os avanços obtidos no campo da produção científica, principalmente no setor acadêmico. Depois da divulgação, ontem, do Índice de Avanço Tecnológico, feito pela ONU, no qual o País está em 43º lugar, atrás de países como Tailândia e Panamá, o presidente aproveitou para dizer que o Brasil precisa investir mais nesta área."Os avanços de tecnologia não são tão marcantes quanto os avanços na linha da ciência, mas, de qualquer maneira, são significativos", disse o presidente, em solenidade de comemoração pelo cinqüentenário da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), fundação ligada ao Ministério da Educação. Ressaltando a importância do trabalho do Ministério para garantir ensino gratuito para a maioria da população, Fernando Henrique negou que o governo tenha a intenção de privatizar instituições da área."O ensino está se tornando gratuito, universal e público, a despeito de tudo quanto se possa ter dito sobre intenções que nunca existiram, de privatização disso ou daquilo", afirmou o presidente, ao lado do ministro da Educação, Paulo Renato Souza. Ao lembrar que em 1961 recebeu uma bolsa da Capes para desenvolver um estudo, ele aproveitou para fazer uma brincadeira, arrancando gargalhadas dos participantes da cerimônia. "Fui bolsista da Capes e até fiz um relatório, que deve estar perdido - e é melhor que esteja - a respeito do que havia feito nesta ocasião, em 1961, em Paris?.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.