É preciso acatar decisões com critérios técnicos, diz Marina

Pré-candidata da Rede à Presidência da República diz que decisão da justiça precisa ser respeitada independente da conjuntura política

Daniel Weterman, O Estado de S. Paulo

24 Janeiro 2018 | 22h46

A pré-candidata da Rede à Presidência da República, Marina Silva, afirmou que é preciso respeitar as decisões da Justiça, independente da conjuntura política. Em nota divulgada após a manutenção da condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), Marina reiterou apoio à Operação Lava Jato e ao fim do foro privilegiado.

Marina disse que é preciso avançar em todas as denúncias de corrupção "sem nenhuma distinção partidária e ideológica, segundo o preceito constitucional de que todos são iguais perante a lei". Ela afirmou que todas as figuras públicas precisam ter "responsabilidade" em um "momento delicado" que vive o País. "O primeiro passo é acatar as decisões da Justiça e defender os trâmites de revisão dessas decisões, dentro de critérios técnicos, independente da conjuntura política."

++ Eliane Cantanhêde: Candidatura Lula, uma ficção

++ Vera Magalhães: Julgamento estritamente técnico enfraquece tese do PT

Para a líder do partido, é urgente o fim do foro privilegiado, o qual ela classificou como a "anomalia que cria diferenças inaceitáveis para a vigência da cidadania plena no Brasil." Mais cedo, o partido emitiu nota oficial em que afirma que irá respeitar o resultado do julgamento de Lula.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.