'É possível o criador e a criatura viverem em harmonia', diz Lula

Na convenção do PT, ex-presidente afirma que, 'quando tiver divergência, termina, porque Dilma sempre estará certa e eu errado'

Ricardo Della Coletta e Ricardo Brito, Agência Estado

21 Junho 2014 | 12h56

BRASÍLIA - O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou neste sábado (21), em discurso na convenção nacional do PT que confirmou a candidatura à reeleição da presidente Dilma Rousseff, que a campanha eleitoral vai mostrar a afinidade entre os dois. "Vamos provar que é possível terminar mandato sem que haja atrito entre nós", afirmou o petista, em Brasília.

Lula tenta conter notícias de divergências entre ele e a afilhada política. "É possível o criador e a criatura viverem em harmonia", declarou. "Quando tiver divergência, ela termina, porque Dilma sempre estará certa e eu errado."

Em seu discurso, o ex-presidente começou a fala agradecendo o atual vice-presidente Michel Temer (PMDB) na resolução do problemas por causa da "aliança grande". Embora dividido, o PMDB aprovou a manutenção da aliança com Dilma. Hoje, o PTB, que havia prometido apoio à presidente, decidiu fechar aliança com o PSDB do senador mineiro Aécio Neves.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.