SUAMY BEYDOUN | ESTADÃO CONTEÚDO
SUAMY BEYDOUN | ESTADÃO CONTEÚDO

‘É normal partido buscar sanar suas dívidas’, diz Haddad

Prefeito afirma que transferiu responsabilidades da campanha para PT; segundo delator, ex-tesoureiro pediu R$ 30 mi de empreiteiras

Juliana Diógenes, O Estado de S.Paulo

29 de junho de 2016 | 23h42

Após o Estado revelar nesta quarta-feira que o ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto pediu para empreiteiras pagarem dívidas da eleição de 2012, o prefeito de São Paulo, o petista Fernando Haddad, disse considerar “normal” a conduta. “Até onde eu sei é normal o partido buscar sanar suas dívidas de campanha”, afirmou em evento na sede do Executivo municipal.

“Se buscou recursos para pagar uma dívida, não há o que contestar. Se houvesse uma troca de favores, seria um problema grave”, disse o prefeito. “(Os partidos) Pedem o apoio para os empresários para doarem para o abatimento da dívida”, afirmou.

Em delação premiada na Operação Lava Jato, o ex-diretor da Andrade Gutierrez Flávio Gomes Machado Filho afirmou que Vaccari pediu a seis empreiteiras o pagamento de pendências de R$ 30 milhões do partido referentes à campanha de Haddad. O pedido teria sido feito em 2013, segundo depoimento em 25 de fevereiro aos procuradores da força-tarefa.

Haddad disse que, após ter sido eleito, transferiu a responsabilidade sobre as dívidas para o PT e afirmou não ter mais se envolvido com esse assunto. Para ele, o procedimento correto de um candidato eleito, “do ponto de vista ético”, é se afastar do assunto. 

“Uma vez eleito, você tem de se afastar desse tipo de assunto, porque o risco de contaminação e de confusão na cabeça do empresário pode ser grande”, afirmou. “O que não pode é o candidato eleito fazer isso (procurar empresários para recolher recursos). Os candidatos eleitos têm de imediatamente se desvencilhar do problema para que não haja confusão entre interesse partidário e interesse público.”

A Andrade Gutierrez não atendeu ao pedido de Vaccari, segundo Machado Filho. Ele disse também, conforme o depoimento, que “não sabe se Haddad sabia” da demanda do ex-tesoureiro que está preso em Curitiba. O prefeito disse que não conhece o ex-executivo.

Citações. Não é primeira vez que a campanha de Haddad é citada em delações da Lava Jato. Dono da UTC Engenharia, Ricardo Pessoa afirmou ter pago despesas de R$ 2,4 milhões da campanha do petista. Haddad arrecadou R$ 42 milhões e gastou R$ 67 milhões. As dívidas da campanha paulistana foram assumidas pelo Diretório Nacional do PT, logo após a vitória na disputa em 2012.

O PT afirma que as doações foram dentro dos “parâmetros legais”. A defesa de Vaccari não respondeu aos contatos do Estado até a conclusão desta edição.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.