É natural considerar Marina como candidata, diz Suplicy

O senador Eduardo Suplicy afirma, porém, que a decisão vai depender do PSB e de todos os partidos coligados

Fernanda Guimarães, André Ítalo Rocha, Estadão Conteúdo

13 de agosto de 2014 | 13h41

O senador Eduardo Suplicy (PT-SP) disse que é natural se esperar que Marina Silva assuma o lugar de Eduardo Campos como candidata à presidência da República pela chapa PSB/Rede. "Marina já foi candidata e é de se esperar que isso aconteça, mas isso vai depender do PSB e de todos os partidos coligados", disse Suplicy a jornalistas.

O senador se disse chocado com a notícia da morte de Campos e afirmou que ele "teve grande contribuição para a democracia brasileira". "A perda de Campos é muito grande e muito difícil de reparar", disse. "Havia uma expectativa muito grande de ver Campos debatendo e dialogando. Campos tinha o propósito de aperfeiçoar a nossa democracia", destacou.

Miguel Arraes. A trágica morte de Eduardo Campos em um acidente aéreo aconteceu na mesma data em que morreu o seu avô, o ex-governador de Pernambuco Miguel Arraes. Arraes faleceu há exatamente nove anos, no dia 13 de agosto de 2005, por conta de uma infecção pulmonar. A morte de Campos também se dá três dias depois do candidato completar 49 anos, no último dia 10 de agosto.

Mais conteúdo sobre:
Eduardo CamposEduardo Suplicy

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.