MARCOS DE PAULA/ESTADÃO
MARCOS DE PAULA/ESTADÃO

É inadmissível povo não ter saúde de qualidade, diz Dilma

A presidente Dilma Rousseff (PT) inaugurou na tarde desta segunda-feira, 30, o Hospital Estadual dos Lagos, em Saquarema, Região dos Lagos do Estado do Rio de Janeiro. Em seu discurso, a presidente disse que o hospital é exemplo de atendimento de alto nível aos brasileiros. "A parte bastante cara é a manutenção e o governo federal a dará todos os anos para esse hospital de referência e de alta qualidade. Pois é inadmissível que o povo não tenha nível de saúde da mais alta qualidade e essa atenção como a daqui", afirmou.

GUSTAVO PORTO, DANIELA AMORIM E LUCIANA NUNES LEAL, Agência Estado

30 Junho 2014 | 17h21

Dilma voltou a citar o programa Mais Médicos, enfatizando que 14 mil profissionais darão cobertura a 50 milhões de pessoas, e defendeu também a criação de faculdades no interior do Brasil. "As relações dos médicos interiorizados criam vínculos. Por isso queremos também interiorizar os médicos no País."

Ainda hoje Dilma participa da cerimônia de entrega de unidades habitacionais do programa Minha Casa, Minha Vida, no Rio de Janeiro. Amanhã, na capital fluminense, a presidente participa da inauguração do arco rodoviário e de uma cerimônia da produção de 500 mil barris por dia no Pré-Sal, prevista para as 11 horas, no edifício-sede da Petrobras.

O hospital em Saquarema começará a funcionar com apenas 20% de sua capacidade, segundo informações do Ministério da Saúde, e atingirá a plena capacidade em setembro. O foco é o atendimento trauma ortopédico cirúrgico e maternidade de alto risco. Num primeiro momento, funcionarão os serviços de ambulatório cirúrgico, imagem, e maternidade com atendimento de baixo risco. Somente após a capacitação de profissionais para as UTIs Neonatal e Adulto, a maternidade passará a atender os casos de gestação de médio e alto risco. Os procedimentos cirúrgicos eletivos e centro de trauma começam a ser ofertados a partir de 15 de julho.

O objetivo atender cerca de 2,3 milhões moradores de municípios como Araruama, Armação de Búzios, Arraial do Cabo, Cabo Frio, Casimiro de Abreu, Iguaba Grande, Rio das Ostras e São Pedro da Aldeia, além de Saquarema. A construção do hospital recebeu investimentos de R$ 46,4 milhões, sendo R$ 41,7 milhões da Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro e outros R$ 4,7 milhões da Prefeitura de Saquarema.

O Ministério da Saúde fará o custeio do funcionamento do hospital com um repasse de R$ 21,1 milhões ainda este ano. Em 2015, o total repassado anualmente pelo ministério será de R$ 30,69 milhões.

Mais conteúdo sobre:
Dilma RJ

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.