É importante compensar perdas dos municípios, diz Lula

Presidente diz que medidas serão discutidas nesta 4ª: Se permitirmos a quebra, quem vai pagar é o povo

LEONENCIO NOSSA, Agencia Estado

08 de abril de 2009 | 12h57

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva declarou nesta quarta-feira, 8, em entrevista concedida ao sair do Encontro Nacional de Comunicadores, no Hotel Grand Bittar, em Brasília, que o governo federal considera importante definir mecanismos para compensar as prefeituras pelas perdas que estão tendo com a redução das transferências federais de recursos do Fundo de Participação dos Municípios (FPM).

Lula confirmou que se reunirá nesta tarde com ministros para discutir as propostas. "Nós estamos fazendo hoje à tarde uma reunião para discutir essa questão com prefeitos e vamos ver se encontramos uma solução", afirmou, acrescentando: "Nós estamos trabalhando com muito carinho, pois todo mundo tem a compreensão de que, na medida em que cai a economia, cai a receita dos governos federal, estaduais e municipais."

Segundo informação divulgada na última terça pelo ministro de Relações Institucionais, José Múcio Monteiro, haverá também amanhã uma reunião sobre o assunto. Lula declarou que, para o governo federal, "é importante que as prefeituras encontrem uma solução" para as suas dificuldades. "Porque, se permitirmos que elas fiquem quebradas, quem vai pagar o preço é o povo", declarou o presidente.

Lula reagiu à insistência de repórteres para que fornecesse detalhes sobre as medidas de compensação para as prefeituras: "Não gosto de discutir isso. Acho um absurdo essas notícias que antecipem medidas. Vocês ficam perguntando se o vai manter a redução do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) para carros. Se a gente anuncia medidas antes de colocá-las em prática, as pessoas param de comprar, vão esperar para comprar daqui a um mês."

Sobre o propósito do governo de reduzir o IPI também para geladeiras e outros eletrodomésticos, o presidente disse que se trata não de aumentar o consumo e sim de reduzir as emissões de gases na atmosfera. "Essa é uma coisa que precisamos incentivar, porque as novas geladeiras devem ser utilizadas pela população, porque são menos poluentes, e o planeta agradece."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.