''É importante a experiência do setor privado no público''

Depois de consolidar o seu nome como o maior produtor de aço das Américas, à frente de um grupo que obteve um lucro líquido de R$ 1,1 bilhão só nos três primeiros meses deste ano, o empresário Jorge Gerdau Johannpeter dedica-se a prestar assessoramento técnico a Estados e municípios, para que o setor público possa implantar uma gestão de qualidade. Pôr fim à gastança é "a única forma de sobrar dinheiro público para investir" e de promover a redução da carga tributária, ensina Gerdau.Por que um empresário bem-sucedido se empenha em dar assessoria aos Estados em prol de uma boa gestão?Levar a experiência do setor privado para o setor público é importante para tornar o Brasil cada vez mais competitivo. Os governos têm que enxergar que o caminho é a gestão. Como a carga tributária chegou ao teto, resta trabalhar na receita.Essa nova mentalidade veio para ficar?Há uma atitude profissional e técnica dos gestores, com a participação do Instituto de Desenvolvimento Gerencial. É um processo originário dos Estados Unidos, que o Japão absorveu no pós-guerra e depois chegou a empresas européias. No início, esse processo só era usado pela indústria. O primeiro governador a usar a tecnologia do INDG foi o Aécio Neves, que eu e um grupo de empresários tomamos a iniciativa de procurar e oferecer.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.