É factível aprovar reforma tributária este ano, diz Appy

Secretário se disse otimista porque percebe do Congresso, em especial de Chinaglia, grande disposição

Célia Froufe

04 de julho de 2008 | 19h17

O secretário de Políticas Econômicas do Ministério da Fazenda, Bernard Appy, disse nesta sexta-feira, 4, que considera factível a aprovação da reforma tributária ainda em 2008. "Obviamente é um ano mais complicado por causa das eleições, nunca deixamos de reconhecer isso", observou momentos antes de fazer o encerramento do primeiro Congresso Paulista de Economia, realizado pelo Conselho Regional de Economia (Corecon) em São Paulo.   Appy se disse otimista porque percebe do Congresso Nacional, em especial do presidente da Câmara, grande disposição em aprovar a reforma o mais rápido possível. "Não vimos até agora de nenhum partido uma oposição à reforma tributária", considerou, acrescentando admitir porém que não se trata de um tema simples e que exige bastante negociação. Ele ressaltou que mesmo que a aprovação ocorra este ano, os efeitos práticos da reforma só serão vistos dois anos depois. Appy continuará como secretário de política econômica até 21 de julho, quando sairá de férias de aproximadamente 15 dias. Na volta, ele ficará responsável por conduzir as reformas estruturais estratégicas para o governo, como a reforma tributária. Ele explicou que comandará uma equipe pequena e que ainda não sabe se será criada uma secretaria extraordinária ou uma assessoria especial para coordenar os trabalhos.

Tudo o que sabemos sobre:
Bernard Appyreforma tributária

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.