É 'constrangedor' depor como suspeito em grampo, diz juiz

De Sanctis será ouvido por delegado da PF sobre grampos ilegais que poderiam ter ocorrido na Satiagraha

Agência Brasil

25 de setembro de 2008 | 16h22

O juiz Fausto De Sanctis da 6ª Vara Criminal de São Paulo chegou nesta quinta-feira, 25, ao prédio do Tribunal Regional Federal da 3ª Região para ser ouvido por um delegado da Polícia Federal sobre grampos ilegais que poderiam ter ocorrido durante a Operação Satiagraha.   Veja Também: Grampos: Entenda a crise   Ao chegar, ele disse à Agencia Brasil que não dará entrevista sobre o caso, mas se queixou "dessa situação" - prestar depoimento - que considerou "constrangedora".   Em depoimento na Comissão Parlamentar Mista de Inqúerito (CPI) das Escutas Telefônicas Clandestinas, De Sanctis negou que tivesse monitorado o presidente do Supremo do Tribunal Federal, ministro Gilmar Mendes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.