É bom para nós que FHC compare as administrações, diz Tarso

Ministro disse que ex-presidente tem legitimidade para participar do debate político em torno da sucessão

Vannildo Mendes, da Agência Estado,

08 Fevereiro 2010 | 11h19

O ministro da Justiça, Tarso Genro, disse nesta segunda-feira, 8, que o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso tem legitimidade para participar do debate político em torno da sucessão presidencial e também para fazer comparações entre o governo dele e o do presidente Lula. O comentário do ministro se refere à disposição do ex-presidente de participar do debate sobre o que foi feito no governo anterior e no atual.

 

Veja também:

link Dilma comanda reação petista a FHC e diz que insistirá em comparações

link Foco tem de ser biografia de candidatos, cobram tucanos

link Em artigo, FHC faz criticas a Lula e ao PT

 

Em artigo publicado neste domingo, 7, pelo jornal O Estado de São Paulo, Fernando Henrique criticou a estratégia adotada pelo governo Lula para vencer as eleições de outubro, de criar inimigos a enunciar inverdades. "Se o lulismo quiser comparar, sem mentir e sem descontextualizar, a briga é boa", afirmou Fernando Henrique em seu artigo.

 

"É bom para nós que ele (FHC) compare as duas administrações. Esse debate nos interessa", disse Genro, convicto de que a gestão petista foi infinitamente superior a dos tucanos.

 

Genro participou há pouco de assinatura de convênio com o ministro da Educação, Fernando Haddad, para incluir a segurança pública no programa de cursos superiores de tecnologia do MEC. O objetivo, segundo Genro, é qualificar os profissionais de segurança pública de todo o País.

 

O ministro deixará o governo na próxima quarta-feira, 10, para se candidatar ao governo do Rio Grande do Sul. Ele disse que deixa como marca da sua administração o Programa Nacional de Segurança Pública da Cidadania que segundo o ministro "mudou o paradigma da segurança no Brasil".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.