?Duvido que se unam?, diz Itamar sobre as esquerdas

O governador de Minas Gerais, Itamar Franco (PMDB), disse hoje não acreditar que as esquerdas se aliem em torno de um só candidato a presidente nas eleições de 2002. "Duvido que se unam", disse o peemedebista, em palestra para empresários na sede da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan). Sem citar nomes, o governador, que também é considerado pré-candidato a presidente, responsabilizou o PT e seu pré-candidato Luiz Inácio Lula da Silva pela divisão. "Um lá tem não sei quantos por cento (nas pesquisas de intenção de voto)", afirmou. "Já assisti a isso", completou, lembrando as eleições de 1994, quando, em julho, Fernando Henrique Cardoso (PSDB) tinha 2% das preferências, e Lula, 44%, mas o tucano terminou vitorioso. Itamar também deixou no ar a possibilidade de decretar uma moratória da dívida externa, defendeu a revisão dos acordos com o Fundo Monetário Internacional (FMI) e a renegociação das dívidas dos Estados com a União. Ele também debochou do lema "Exportar ou Morrer", lançado por Fernando Henrique recentemente. "Um indivíduo falar em exportar ou morrer, a esta altura, após sete anos (de governo) já era cadáver", ironizou, causando gargalhadas na platéia. "Só se fosse conservado em formol".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.