Dutra teve 20% da campanha paga por ´amigos´ da Petrobras

A prestação das contas eleitorais de 2006 revela que o ex-presidente da Petrobras José Eduardo Dutra passou literalmente a sacolinha entre os funcionários da estatal, principalmente na diretoria. "Prevaleceu a velha máxima marxista: cada um com sua possibilidade", disse Dutra, para justificar o fato de pelo menos 27 das 40 pessoas físicas que fizeram doações para sua frustrada candidatura ao Senado pelo PT de Sergipe serem funcionários da estatal. As contribuições destes doadores somaram R$ 164 mil, quase 20% do total arrecadado, segundo a declaração feita à Justiça Eleitoral. O atual presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, doou R$ 10 mil, mas a maior contribuição individual veio do gerente de Recursos Humanos, Diego Hernandes, que foi braço direito de Dutra à frente da empresa: R$ 25 mil. O consultor jurídico da presidência, Paulo Otto Von Sperling, ficou em segundo lugar, com R$ 20 mil. Ambos ocupam cargos comissionados, não são funcionários de carreira. Dos seis diretores executivos, apenas dois não contribuíram. Nestor Cerveró, Renato Duque, Ildo Sauer e Guilherme Estrella fizeram contribuição padrão de R$ 8 mil. A ouvidora-geral da estatal, Maria Augusta Carneiro Ribeiro, doou R$ 10 mil. Gabrielli tirou R$ 50.400 do bolso nas últimas eleições. Além de contribuir com seu antecessor, ele deu R$ 20 mil para a campanha do presidente Lula, R$ 15 mil para a do governador eleito da Bahia, Jaques Wagner, e R$ 5.400 para a campanha do petista Rui Costa dos Santos a deputado federal pela Bahia.Dutra confirma que pediu ajuda aos "amigos" da Petrobras "que ganham bem". "Todos os diretores deram. Conversei pessoalmente com alguns e eles repassaram o pedido a outros. Fiz muitos amigos na Petrobrás, que são pessoas com poder aquisitivo maior do que o dos meus outros amigos. A maioria é de carreira, poucos foram levados por mim para a Petrobrás. Em 2002, minha campanha para o governo estadual também teve muitos doadores individuais, mas naquela época eu não conhecia tanta gente na Petrobrás", afirmou o petista. Além dos funcionários da estatal, na lista de doadores de Dutra constam também advogados que trabalharam para a empresa e prestadoras de serviços para a Petrobras. A estatal é proibida por lei de contribuir para campanhas.Colaborou Irany Tereza

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.