Dutra propõe mínimo gaúcho de R$ 250

O governador do Rio Grande do Sul, Olívio Dutra (PT), tentará criar um salário mínimo regional com valor entre R$ 230 e R$ 250. A proposta já recebeu o aval da CUT e será encaminhada em maio à Assembléia Legislativa. Cerca de 500 mil trabalhadores gaúchos, de acordo com as estimativas da Secretaria Estadual do Trabalho, serão beneficiados se o projeto for aprovado pelos deputados estaduais. "Pretendemos implementar esse projeto ainda neste semestre. Um quarto da população empregada do Estado poderá ser beneficiada", disse o secretário do Trabalho, Tarcísio Zimmermann. A exemplo do Rio de Janeiro, a idéia do governo é criar até cinco diferentes faixas de salário regional, conforme a complexidade da atividade. A indústria gaúcha já paga um mínimo que, em média, chega a R$ 250, conforme os números da federação do Estado, a Fiergs, e não seria afetada pela medida. O presidente da Federação das Associações Empresariais do Rio Grande do Sul (Federasul), Humberto Ruga, disse temer, entretanto, os efeitos sobre as pequenas e microempresas. O projeto não atingirá os municípios e nem os servidores públicos estaduais que tenham estabilidade no emprego. Apenas os funcionários celetistas do Estado serão contemplados. "A grande maioria dos servidores já ganha mais do que o mínimo", argumenta o secretário da Administração, Marco Maia. "Nesse caso, estamos estudando a criação de um piso salarial de R$ 300 e um teto de R$ 7 mil para o funcionalismo estadual".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.