Dutra deve pedir quebra de sigilo de votação

O líder do bloco oposicionista no Senado, José Eduardo Dutra (PT-SE), informou na tarde de hoje que vai perguntar ao presidente do Senado, Jader Barbalho (PMDB-PA), se ainda é possível extrair dos computadores da Casa a lista com o resultado da votação na sessão em que foi cassado o mandato dosenador Luiz Estevão (PMDB-DF). O senador disse que, em caso afirmativo, a bancada do PT vai pedir a quebra do sigilo, com a divulgação dos nomes dos senadores que votaram contra a cassação de Estevão.Dutra foi acusado pelo ex-senador José Roberto Arruda (sem partido-DF) de ter tido conhecimento da lista. "Eu não vi a lista. Tudo o que eu tinha a dizer, já o fiz no Conselho de Ética", disse o senador, referindo-se ao fato de ter comunicado ao conselho que Antonio Carlos Magalhães (PFL-BA) lhe informara, após a votação, que a senadora Heloísa Helena (PT-AL) tinha votado a favor de Estevão.O senador disse também que terá como se defender caso se confirme a disposição do senador Geraldo Althoff (PFL-SC) de abrir representação contra ele por crime de omissão. "Não há como se defender de fof ocas ou de declarações em off; se houver uma representação, eu saberei como me defender", afirmou. Dutra questionou o fato de Althoff não ter levantado esta questão naépoca de seu depoimento no conselho de Ética. Althoff estaria fazendo estudos sobre a possibilidade de incriminar Dutra por omissão baseado nas insinuações do senador Antônio Carlos Magalhães (PFL-BA), de que ele também teria tido acesso à lista da votação secreta da sessão em que foi cassado o ex-senador Luiz Estevão.O senador do PT disse que outros senadores, cujos nomes não quis informar, lhe disseram ter ouvido de ACM esse mesmo tipo de insinuação. "Se alguém tem acusação contra mim, que a faça. E, se Jader ouviu de Arruda que eu sabia da lista, terá obrigação de abrir processo. Não vou aceitar ser cobrado por conta de conversas de corredores". Dutra disse que o PFL está querendo fazer um favor ao governo ao tentar envolver um líder da oposição no episódio da violação do painel eletrônico.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.