Duras faixas de protesto em solenidade militar no Rio

?Em quartel que falta pão até recruta tem razão.??Viegas, assuma ou suma.??Com fuzil na mão, nossa fome será zero.??Lá em casa já decidimos: Lula jamais.?Esses foram alguns dos dizeres das faixas estendidas por mulheres, filhas e irmãs de militares, hoje, durante uma solenidade de especial importância para as Forças Armadas brasileiras ? a comemoração do fim da Segunda Guerra Mundial, no Monumento dos Pracinhas, no Aterro do Flamengo, da qual participavam o ministro da Defesa, José Viegas, e os comandantes do Exército, general Francisco Albuquerque; da Marinha, almirante Roberto Guimarães de Carvalho, e da Aeronáutica, brigadeiro Luiz Carlos Bueno. Neste sábado, 8 de maio, comemora-se o 59º aniversário da rendição da Alemanha nazista. As faixas foram levadas por cerca de 50 familiares de militares. Elas reivindicam aumento do soldo e da pensão dos que estão na reserva e de suas famílias, alegando que não são reajustados há dez anos. "Meus pais recebem entre R$ 5 mil e R$ 6 mil, insuficiente para mantê-los", disse Bernadete Vargas Beato, que levou um cachorro fardado. Ela explicou que seu irmão, Jorge Vargas, já falecido, era capitão do Exército e a pensão ficou para seus pais. "Eu estudei muito para me tornar coronel-aviador e hoje tenho uma pensão de R$ 8 mil brutos, mas deveria receber, pelo menos R$ 17 mil, como um deputado", completou Ivo Nunes, que entrou na frente do carro do ministro, tentando pará-lo.A manifestação foi organizada pelo deputado federal Jair Bolsanaro (PPB-RJ), mas não conseguiu entrar na praça do Monumento, nem se aproximar do ministro. Viegas chegou pelo lado oposto ao que estavam os manifestantes e, ao sair, quando eles tentaram parar seu carro, soldados da Polícia do Exército os contiveram. "Estive com o ministro esta semana e pedi uma definição, mas parece que ele está sendo fritado e não consegue se entender com quem decide sobre nosso aumento", comentou Bolsanaro. Na entrevista coletiva após a cerimônia o Viegas não quis comentar a manifestação ou suas reivindicações.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.