Duras críticas entre candidatos à presidência do PT

O primeiro debate entre os seis candidatos àpresidência do PT foi marcado por duras críticas à atual direção do partido, que, na opinião dos três representantes gaúchos quedisputam o cargo, estaria afastando a legenda dos movimentos populares.O deputado José Dirceu (PT-SP), que tenta se reelegerpara o comando do partido, foi obrigado a ouvir aplausos da platéia quando o ex-prefeito de Porto Alegre Raul Pont criticou a decisãoda atual direção do partido de não lançar candidatura própria em 1998 ao governo do Estado do Rio e apoiar o então candidato doPDT Anthony Garotinho.?A cada momento eleitoral, um pragmatismo, a visão imediatista, ou atalhos que foram responsáveis por grandes tragédias ederrotas. Algum companheiro aqui neste Estado tem dúvida de que seria melhor se tivéssemos lançado candidato próprio em1998 em vez de embarcar no erro da candidatura Garotinho? Nós precisamos ter um projeto socialista, que não pode sersubstituído pelo pragmatismo, pelo eleitoralismo, que é reproduzir a mesma estrutura que herdamos da sociedade capitalista?,disse Pont.?Estamos nos transformando cada vez mais no partido da representação, da não-militância, sem participação.?Opresidente do PT no Rio Grande do Sul, Júlio Quadros, também foi muito aplaudido ao criticar o apoio do PT nacional ao ?monstrodo neopopulismo Garotinho?.?Nós estamos nos afastando dos movimentos sociais e privilegiando contratos e cargos?, disse o vereador da capital gaúchaJosé Fortunati.O deputado José Dirceu reagiu, afirmando que o PT ?é um partido popular, e não das elites?, mas salientou que énecessário haver mudanças para ?evitar que a legenda se burocratize?.?O PT enfrentou FHC todos esses anos, sou petista, tenhoorgulho de estampar essa estrela vermelha no peito?, afirmou Dirceu, contornando os ânimos da platéia.Momentos antes, ummilitante havia sido vaiado ao defender a Articulação, corrente de Dirceu. ?Não somos mais apenas um movimento, mas não háalianças com a direita no PT."Realizado no auditório do Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura do Rio, no centro da cidade, o debate desta sexta foi oprimeiro dos oito programados até a eleição direta para a presidência do PT, marcada para 16 de setembro.A vice-governadoraBenedita da Silva, que estava na platéia, voltou a negar que vá deixar o partido.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.