Durante jantar com PMDB, Lula prega conversa com oposição

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva anunciou a intenção de conversar com a oposição para discutir a aprovação no Congresso Nacional de projetos de interesse do País. Lula disse, ao chegar ao jantar com cerca de 200 peemedebistas, na última quarta-feira, que vai conversar com parlamentares e dirigentes oposicionistas assim que terminar a rodada de encontros com os partidos da coalizão. O jantar, na casa do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), contou com a presença de governadores e parlamentares.O presidente disse que pretende consolidar, com a atual aliança, "um novo projeto político para o País" e prometeu acabar com as alianças de curto prazo. "As alianças eminentemente ocasionais, em função de um projeto ou outro, são deformações. Nós achamos que temos uma oportunidade enorme, com o PT, PMDB e outros partidos aliados, de estabelecer uma aliança mais sólida, com mais objetivos", disse. "Pretendo conversar com os partidos de oposição, já tinha dito ao ACM que quero conversar com todo mundo. Há projetos no Congresso e o objetivo de todos nós é fazer o melhor para o Brasil". Embalados pelo discurso de Lula, os peemedebistas chegaram ao jantar animados e pregaram em coro o lançamento de um candidato próprio para a sucessão de Lula, em 2010. "A união do PMDB é possível e necessária e voltada para a governabilidade e para um projeto de poder em 2010", disse o líder do governo no Senado, Romero Jucá (RR). "O PMDB é o parceiro preferencial para 2010, até sendo cabeça de chapa. Pensamos numa candidatura da coalização que o candidato seja do PMDB", disse o presidente do PMDB, deputado Michel Temer (SP). No jantar, foram servidos ravioli com recheio de queijo brie ao molho de damasco, camarão ao molho de champagne e filé ao molho de vinho do Porto, pratos acompanhado de vinho tinto chileno e uísque oito anos. O PMDB mostrou apetite.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.