Duda prevê acirramento de ânimos na campanha em SP

O marqueteiro Duda Mendonça afirmou hoje que a disputa pela Prefeitura de São Paulo vai chegando no limite e numa eleição, segundo ele, praticamente empatada entre o candidato do PSDB, José Serra, e a do PT, a prefeita Marta Suplicy, é natural que os ânimos fiquem mais acirrados, mas de forma respeitosa e sem baixaria. Ele revelou que hoje será iniciada uma campanha mostrando os números da dengue, da hepatite, da lepra, quando o tucano foi ministro da Saúde. Sem considerar "ataques" as críticas da prefeita, ele observou, em entrevista coletiva, no comitê do prefeito do Recife, João Paulo (PT), também candidato à reeleição, que "em qualquer campanha, se você é atacado, em algum momento você tem que responder". "A campanha de São Paulo é a mais importante do Brasil, a gente foi muito criticado e vai haver um momento em que vamos criticar". Ele considerou que o governador Alckmin "passou do ponto" ao ir para a televisão dizer que só tem um parceiro nesta campanha, o candidato Serra. Sobre o medo expressado por Marta diante da possibilidade de Serra ganhar a eleição, Duda justificou que ela "está puxando a brasa para o seu lado".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.