Duda pede absolvição no mensalão e alega ter confessado conta no exterior

Em suas alegações finais, advogados do publicitário afirmam que ele confessou espontaneamente a forma pela qual recebeu por serviços prestados ao PT

Fausto Macedo / SÃO PAULO, O Estado de S.Paulo

02 Setembro 2011 | 18h39

A defesa do publicitário Duda Mendonça também entregou as alegações finais ao Supremo Tribunal Federal no processo do Mensalão. Os advogados pedem absolvição de Duda e também de Zilmar Fernandes da Silveira, que prestaram serviços de marketing para o PT.

 

Os criminalistas Tales Castelo Branco e Frederico Crissiúma de Figueiredo subscrevem as alegações ao ministro Joaquim Barbosa, relator. Duda e Zilmar foram denunciados pela Procuradoria Geral da República por manterem conta não declarada no exterior e lavagem de dinheiro.

 

A conta, em Miami (EUA), era titularizada pela offshore Dusseldorf Company. “Os acusados confessaram espontaneamente, e antes mesmo de serem objeto de qualquer investigação, a forma pela qual receberam pelos serviços de marketing político efetivamente prestados ao PT”, assinalam os defensores de Duda.

 

“Apresentaram documentos, extratos da conta mantida no exterior e prestaram todos os esclarecimentos acerca dos fatos”, asseveram Tales Castelo Branco e Frederico Crissiúma de Figueiredo. Eles ressaltam que “posteriormente foram pagos todos os tributos incidentes”.

 

“É falacioso o argumento de que eles foram os únicos que receberam valores no exterior e que, por essa razão, mentiram ao afirmar que agiram assim por determinação de Marcos Valério”, destacam os advogados nas alegações finais. “O conhecimento dessas operações só veio à tona em razão da confissão dos acusados."

 

"O que ocorreu na verdade é que o Ministério Público Federal e a CPMI dos Correios não foram capazes de descobrir outros pagamentos efetuados por Marcos Valério no exterior. Isso não significa em absoluto que outras situações irregulares não possam ter ocorrido", afirmam ainda.

Mais conteúdo sobre:
Duda MendonçamensalãoSTFPT

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.