Duda mantém determinação de não falar na CPI

O publicitário Duda Mendonça continua mantendo a estratégia de não falar na CPI dos Correios, e não respondeu a nenhuma das perguntas feitas até agora pelo relator da CPI, deputado Osmar Serraglio (PMDB-PR). "Quando contrariei meus advogados só me ferrei", afirmou Duda Mendonça.Ele disse que gostaria de falar, mas que vai seguir determinação de seus advogados, para não prejudicar a sua defesa. "Isso para mim é uma tortura. Gostaria de falar, mas os advogados dizem que é melhor não falar", afirmou. Sessão parcialmente abertaO depoimento do publicitário está sendo realizado em sessão aberta da CPI dos Correios, na parte que trata de questões nacionais. A Segunda parte da sessão será secreta, e dela somente participarão os quatro parlamentares que foram aos Estados Unidos buscar informações sigilosas sobre a movimentação financeira do publicitário no exterior.Com a decisão de manter a decisão fechada, a CPI cumpre acordo feito com as autoridades norte-americanas de não vazar dados sigilosos repassados aos parlamentares sobre contas de Duda nos EUA.Em agosto do ano passado, o publicitário informou ter uma conta no exterior e que havia recebido R$ 10,5 milhões de caixa 2 da campanha do PT em 2002. Posteriormente, a CPI colheu informações segundo as quais ele teria outras contas nos EUA, e a comissão constatou que na conta por ele informada havia uma diferença de US$ 300 mil a maior.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.