Duda dá aula e ouve de alunos gritos de ladrão

No dia em que virou réu, marqueteiro foi vaiado e insultado em SP

Silvia Amorim, SÃO PAULO, O Estadao de S.Paulo

07 de agosto de 2029 | 00h00

Quatro horas depois de ser anunciado réu pelos crimes de lavagem de dinheiro e evasão de divisas, o publicitário Duda Mendonça, acostumado a aplausos por um currículo premiado na área da propaganda, foi alvo de vaias e insultos em uma palestra em São Paulo. Convidado para uma aula inaugural do curso de Comunicação Social das Faculdades Metropolitanas Unidas (FMU), ele foi recebido ontem à noite por estudantes com gritos de "mensaleiro, corrupto e ladrão". O marqueteiro reagiu. "O que eu fiz de errado? Não fui indiciado por formação de quadrilha ou peculato. Eu recebi o meu dinheiro. Se essa era a forma de receber, eu recebi. Precisava pagar os salários dos funcionários", defendeu-se. Os manifestantes não passavam de 30 em uma platéia de cerca de 300 pessoas, a maioria estudantes de Comunicação. Já os revoltosos eram alunos de Direito da faculdade, para os quais o título de "gênio da propaganda", como o publicitário foi apresentado, pareceu não ter significado algum. Foi Duda pegar o microfone para os insultos começarem. "Fora mensaleiro", gritaram alguns. "Vai embora, ladrão", disse outro.Com aplausos a maioria dos presentes tentou inibir o grupo, mas foi em vão. Duda Mendonça até revidou os revoltosos. "Você acha?", ironizou ele, dirigindo-se ao rapaz que entoou o grito de "ladrão". E emendou: "Essas coisas não me tocam mais não. A grana que eu recebi foi fruto do meu trabalho. Foi dinheiro limpo e honesto. E já paguei o que eu devia."O bate-boca durou menos de um minuto, mas foi suficiente para roubar a cena. Os manifestantes deixaram o local, mas quando Duda abriu espaço para perguntas da platéia, o processo do mensalão voltou à pauta.?IDIOTA?Do palco o marqueteiro, em tom de desabafo, disse que estava magoado e arrependido de ter prestado depoimento à CPI dos Correios. "Fui um idiota de ir à CPI. Se fosse hoje não ia lá não", afirmou.Depois insinuou que talvez no futuro traga fatos novos sobre o caso. Hoje, segundo ele, "o melhor é ficar de boca calada". E sentenciou: "Apenas lamento é que falar a verdade não vale a pena."Antes de iniciar a palestra, Duda negou qualquer irregularidade em seus pagamentos pelo trabalho na campanha do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. E repetiu por mais de três vezes o bordão da noite: "Meu dinheiro foi fruto do meu trabalho e o imposto eu já paguei."O publicitário disse estar tranqüilo em relação à decisão do STF. Com escritórios em Salvador e em São Paulo e ícone do marketing político no País, ele, entretanto, manteve em segredo se pretende voltar a fazer campanha política. "Essa pergunta ainda está confusa na minha cabeça."ELOGIOSForam cerca de duas horas de palestra e muitos elogios a Lula. "Não estou aqui para fazer defesas políticas, mas tem uma coisa que ninguém pode deixar de admitir: o povão passou a sonhar e a força do presidente Lula vem daí."O tema da palestra ontem para os estudantes era a influência da população mais pobre nas campanhas publicitárias e políticas, descoberta que tornou Duda famoso como e marqueteiro de campanhas. Ele foi o único palestrante.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.