Duda começa a depor em sessão aberta

O publicitário Duda Mendonça iniciou seu depoimento na CPI dos Correios por volta de 12h25, em sessão aberta, ao contrário do que tinha anteriormente decidido o presidente da comissão, Delcídio Amaral (PT-MS). O senador havia alegado a "delicadeza" no assunto e o compromisso assumido com o governo americano para não vazar informações sigilosas repassadas pela Justiça dos Estados Unidos. "Eu não vou arriscar", afirmou Delcídio, respaldado em um parecer da Consultoria Jurídica do Senado, recomendando que a reunião fosse secreta. O parecer afirma que seria aconselhável manter a reunião secreta, porque qualquer informação divulgada antes do relatório final poderá prejudicar o futuro de todas as CPIs que precisarem de dados dos Estados Unidos. Apesar da decisão de Delcídio, a oposição reagiu, pedindo que parte da seção seja aberta e que os dados relacionados à movimentação financeira do publicitário fiquem restritos aos parlamentares que foram aos Estados Unidos. Segundo o deputado Maurício Rands (PT-PE), a expectativa é que o publicitário esclareça para onde foram os recursos depositados na conta Dusseldorf e discrepâncias em relação às suas contas no exterior, verificadas pela CPI, em relação ao depoimento que fez em agosto do ano passado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.