Governo de SP
Governo de SP

Doria vê ‘afronta’ de Bolsonaro com São Paulo

Ao falar de paralisia de obras de infraestrutura que dependem da União, governador diz que presidente boicota Estado e rompe pacto federativo

Bruno Ribeiro, O Estado de S.Paulo

22 de janeiro de 2021 | 19h25
Atualizado 22 de janeiro de 2021 | 20h44

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), afirmou ser “afrontoso” o modo como a gestão Jair Bolsonaro vem atuando para paralisar ou atrasar obras de infraestrutura planejadas pelo Estado de São Paulo e que dependem de aval ou recursos do governo federal. Doria disse que irá “agir” diante do cenário, sem dar detalhes. 

“É afrontoso um presidente da República romper o pacto federativo e assumir publicamente que orientou ministros do seu governo a boicotarem São Paulo. Nós não ficaremos emudecidos e nem intimidados com isso. Vamos agir”, afirmou o governador, ao término da entrevista coletiva em que deu detalhes sobre o endurecimento das regras de quarentena no Estado contra o coronavírus

Como mostrou o Estadão, obras de mobilidade e saneamento traçadas por São Paulo, que dependiam de acordo com Brasília para serem viabilizadas, ainda estão no papel, como no caso da ponte entre Santos e Guarujá e o piscinão de Jaboticabal, entre a capital e as cidades do ABC. 

O Estadão revelou também que Bolsonaro deu ordem para que os ministros não atendam a nenhum pedido do governador paulista

Doria não detalhou como seria essa “ação” contra Bolsonaro, mas auxiliares não descartam até medidas judiciais. 

Na semana passada, o governador paulista  conclamou a população a uma “reação” contra o governo Bolsonaro, após as mortes por asfixia no Amazonas por falta de tubos de oxigênio para pacientes com covid-19. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), esteve quinta e sexta-feira da semana passada no Palácio dos Bandeirantes articulando, com o vice-governador Rodrigo Garcia, a campanha de Baleia Rossi (MDB) para a Presidência da Câmara, contra o adversário apoiado pelo presidente, Arthur Lira (Progressistas). A vitória na disputa é crucial para Bolsonaro, no momento em que o tema impeachment passa a ser discutido com cada vez mais intensidade na sociedade. 

Para Entender

Veja o placar da eleição para presidente da Câmara dos Deputados

Baleia Rossi, candidato de Rodrigo Maia, e Arthur Lira, apoiado por Bolsonaro, lideram corrida pela presidência da Casa; siga distribuição de votos por deputado, partidos e Estados

Procurado, o Palácio do Planalto não havia se manifestado até a publicação desta reportagem. 

Na quinta-feira, 21, Doria voltou a cobrar empenho federal para a oferta de mais vacinas contra o novo coronavírus. As únicas doses que  já haviam sido  aplicadas no País foram disponibilizadas pelos paulistas após entendimento do Instituto Butantan com o laboratório chinês Sinovac. 

Cerca de 2 milhões de doses obtidas pelo governo federal chegaram ao Brasil nesta sexta-feira, vindas da índia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.