Gabriela Biló/Estadão
Gabriela Biló/Estadão

Doria sugere aliança Alckmin-Rocha e constrange PSDB

Ex-prefeito e empresário participaram juntos da Marcha Para Jesus nesta quinta-feira, 31

Daniel Weterman e Pedro Venceslau, O Estado de S.Paulo

31 Maio 2018 | 14h51

Pré-candidato ao governo de São Paulo pelo PSDB, o ex-prefeito João Doria disse nesta quinta-feira, 31, que o empresário Flavio Rocha, presidenciável do PRB, e o ex-governador Geraldo Alckmin "estarão juntos" na disputa pelo Palácio do Planalto. A declaração irritou aliados de Alckmin, que consideram precipitado o gesto de Doria. Alckmin mantém conversas com o PRB e reuniu-se na semana passada com o presidente nacional do partido, Marcos Pereira. 

++ Ibope: Doria lidera disputa pelo governo de São Paulo

Para Doria, a aliança dos dois seria benéfica para o que ele considera uma união do centro contra as pré-candidaturas de Jair Bolsonaro (PSL) e Ciro Gomes (PDT). "Será e estarão juntos", disse após participar da Marcha Para Jesus, na capital paulista. 

Em outra frente, o deputado federal Marcus Pestana, secretário-geral do PSDB, tenta unfiicar as candidaturas do centro já no primeiro turno, em uma frente batizada de "polo democrático".

++ Manifesto prega união do centro por agenda reformista

Pestana disse ao Estado que qualquer discussão sobre composição de chapa neste momento é "balão de ensaio". De acordo com o deputado, será lançado na próxima terça-feira, em evento na Câmara dos Deputados, o manifesto do polo democrático, que foi assinado, entre outros, pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e pelo chanceler Aloysio Nunes Ferreira.

"Só a partir de quarta-feira vamos começar a conversar com todos os pré-candidatos sobre a possibilidade de formar um bloco único do centro. Isso pode acontecer antes das convenções, durante o processo eleitoral ou no segundo turno. O perigo, porém, é a terceira opção não chegar ao segundo turno."

++ Presidenciáveis encaram ‘ônus’ da greve

Sobre a articulação entre Doria e Rocha, Pestana disse que o ex-prefeito vê o processo sob a ótica de São Paulo e que a aproximação depende de uma articulação mais ampla.

Doria, Rocha, o prefeito Bruno Covas e o vereador João Jorge, presidente do PSDB municipal, tomaram café da manhã e participaram juntos do evento religioso. Nesta quarta-feira, 30, Rocha esteve presente no ato político que oficializou o apoio do PRB à campanha estadual de Doria.

++ Pré-candidatos vão à Marcha para Jesus

Vice. Ao ser questionado se aceitaria ser candidato a vice na chapa de Alckmin, Rocha rechaçou a ideia. "Eu aceitaria ter o Geraldo como vice. Ele traria experiência e trânsito político." Segundo ele, seu perfil teria mais chance de ganhar "nessa disputa com os extremos." 

O entorno de Geraldo Alckmin avalia nomes para compor com ele a chapa presidencial. São considerados o ex-ministro da Educação Mendonça Filho, do DEM; o pré-candidato do Podemos, Alvaro Dias; e o próprio Flavio Rocha. /colaborou Adriana Ferraz

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.