Nilton Fukuda|Estadão
Nilton Fukuda|Estadão

Doria prevê campanha dura em SP e avalia que desempenho de Temer pode influenciar eleições

Empresário falou em Nova York que mudança de governo em Brasília terá reflexos na corrida eleitoral em todo o País

Altamiro Silva Junior, correspondente, O Estado de S.Paulo

18 de maio de 2016 | 13h29

NOVA YORK - O empresário e pré-candidato à prefeitura de São Paulo João Doria Jr. (PSDB) prevê que a campanha para as eleições municipais deste ano será "dura" e avalia que a mudança de governo em Brasília terá reflexos na corrida eleitoral. "O sucesso da nova equipe econômica pode ser positivo para a campanha do PSDB na cidade, na medida em que as práticas e políticas que o partido tem propagado são semelhantes ao que Temer defende", disse a jornalistas nesta quarta-feira, 18, em Nova York.

"Na medida em que essas políticas (de Temer) forem apresentando bons resultados, isso também vai influir nas eleições municipais, não só em São Paulo, mas em todo o Brasil.", afirmou o empresário. "O desgaste do PT e a imagem (do partido) fica muito machucada pelas circunstâncias do processo de impeachment", disse ele.

Para o empresário, já houve um efeito imediato na confiança de empresários com o afastamento de Dilma Rousseff (PT), de acordo com as conversas que ele tem visto nas reuniões e encontros do Grupo de Líderes Empresariais (Lide), fundado por ele. "Já houve melhoria de expectativa com a chegada de Temer. Há represamento muito grande de investimentos e pode ocorrer gradual destravamento."

Para Dória, fora do governo federal, os petistas devem concentrar forças em São Paulo, como já declarou o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. "Tenho absoluta convicção de que vão fazer muito esforço para conquistar a reeleição", disse o empresário.

A campanha também será difícil pelo fato de terem, até agora, 15 pré-candidatos para prefeito da maior cidade do País. Outro fator é a corrida presidencial para 2018. "É impossível você imaginar uma eleição em São Paulo em 2016 que não espelhe o que pode ocorrer em 2018", ressaltou.

Além do reflexo em 2018, o empresário acredita que a campanha municipal será "muito definidora" para o futuro do PSDB na sua principal base, que é em São Paulo. Dória acredita que o PSDB vai chegar na convenção em 24 de julho mais unido do que foi nas prévias paulistas. "Toda disputa muito acirrada sempre provoca alguns arranhões. Se pudermos ir unidos, assim iremos."

A periferia de São Paulo é prioridade de Dória na pré-campanha. Segundo ele, já foram feitas 92 visitas aos bairros mais afastados da cidade e outras devem ser feitas em seguida, em regiões como a zona leste e sul. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.