Alex Silva|Estadão
Alex Silva|Estadão

Doria evita encontro de tucanos em SP organizado por rival

Presidente do Instituto Teotônio Vilela, responsável pelo evento, é o senador José Aníbal, que tenta na Justiça anular as prévias que elegeram o empresário como pré -candidato

Pedro Venceslau, O Estado de S.Paulo

08 de julho de 2016 | 10h08

No momento que o PSDB paulista enfrenta o pior racha de sua história, o pré-candidato tucano à Prefeitura de São Paulo, João Doria, não participará nessa sexta feira, 8, de um evento do partido na capital no qual estão presentes os principais dirigentes da sigla.

Organizado pelo Instituto Teotônio Vilela (ITV), braço teórico do PSDB, o seminário Repensando as Cidades reúne o governador Geraldo Alckmin, o senador Aécio Neves, o líder do partido na Câmara do Deputados, Antônio Imbassahy e o secretário-geral do PSDB,  Silvio Torres, além de lideranças políticas locais da capital.

O presidente do Instituto é o senador José Aníbal, que tenta na Justiça anular as prévias que elegeram Doria como pré -candidato.

Doria é aliado de Alckmin, mas sofre forte oposição interna de tucanos de peso como o ex-governador Alberto Goldman, o ministro das Relações Exterioes José Serra e o ex-deputado Arnaldo Madeira.

A assessoria do ITV disse que "todos" os filiados ao partido foram convidados para o evento. Doria afirma que terá na manhã desta sexta uma agenda na periferia.

Sem maiores problemas. O senador Aécio Neves, presidente nacional do PSDB, minimizou o racha do partido em São Paulo e defendeu a pré-candidatura do empresário João Doria à Prefeitura da Capital. Aliado de Alckmin, Doria foi eleito pré-candidato em processo de prévias que foi contestada por tucanos na Justiça e culminou com a saída do partido do vereador Andrea Matarazzo, que migrou para o PSD.

"É natural que um partido da dimensão do PSDB tenha suas disputas internas, estou absolutamente convencido que, chegando o momento da disputa, estaremos unidos. Nosso candidato em São Paulo é o João Doria, que venceu as prévias", disse o senador.

A declaração de Aécio foi feita em uma coletiva de imprensa, concedida ao lado do senador José Aníbal, presidente do Instituto Teotônio Vilela (ITV), braço de formulação política do PSDB, e autor de uma ação enviada ao Ministério Público pedindo a cassação da pré-candidatura de Doria.

O governador Geraldo Alckmin também minimizou o racha: "Este é um tema partidário, estamos absolutamente confiantes (na candidatura de Doria)." Após ser acionado por Aníbal e pelo ex-governador Alberto Goldman, o Ministério Público de São Paulo abriu uma investigação para apurar o abuso de poder econômico e compra de votos por parte de Doria no processo de prévias tucanas.

Durante a disputa interna, o ministro das Relações Exteriores, José Serra, o senador Aloysio Nunes Ferreira e o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso se colocaram contra a pré-candidatura de Doria.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.