Felipe Rau/Estadão
Felipe Rau/Estadão

PSDB se reúne hoje para debater proposta de adiar prévias

Aliados do governador gaúcho Eduardo Leite aventaram a possibilidade de a eleição interna não ocorrer no próximo dia 21 por problemas no aplicativo de votação; Doria e Virgílio são contra

Levy Teles e Adriana Ferraz, O Estado de S.Paulo

15 de novembro de 2021 | 23h31
Atualizado 16 de novembro de 2021 | 14h07

A comissão organizadora das prévias tucanas se reúne, nesta tarde, para debater a proposta de adiamento da disputa apresentada por apoiadores do governador gaúcho, Eduardo Leite, que nega ter essa intenção. A eleição interna para escolher o candidato do partido à Presidência da República em 2022 está marcada para o domingo, 21. O governador paulista, João Doria, e o ex-senador Arthur Virgílio (AM) já se posicionaram contrários. Ambos assinaram uma nota conjunta repudiando a possibilidade.

As campanhas de Doria e Virgílio consideraram a proposta “imoral e inaceitável”. Para eles, “adiar as prévias é casuísmo eleitoral”. “Os candidatos Arthur Virgílio e João Doria entendem que a democracia não pode ser adiada. As prévias do PSDB devem, portanto, ocorrer dia 21 de novembro, conforme programado e amplamente divulgado em todo o País. Eleições não se adiam. Eleições se realizam”, diz o texto.

Procurado na noite de segunda pelo Estadão, Leite disse, por meio da assessoria, que "se alguém falou (em adiamento), foi sem a concordância dele". No Twitter, ele negou que tenha feito tal proposta. “Não procede a informação de que nossa campanha tenha proposta adiar as prévias do PSDB. Não faz sentido postergarmos a decisão em um processo no qual trabalhamos com absoluta confiança vitória”, disse. Nesta terça. a campanha do governador gaúcho voltou a afirmar que não fez qualquer proposta oficial de adiamento ao PSDB e que não defende que isso ocorra.

A reunião onde o tema foi tratado ocorreu na noite desta segunda, 15, e foi gravada. Áudios obtidos pelo Estadão deixam clara a intenção do deputado federal Jutahy Júnior (BA), que é aliado de Leite. "A nossa proposta é adiarmos a prévia. Não pode ter prévia no dia 21, essa é a posição nossa", disse. Também da Bahia, o deputado João Almeida cita, em seguida, a necessidade de se aprimorar o aplicativo desenvolvido pelo partido para receber os votos dos filiados.

Presente na reunião, o presidente do PSDB paulista, Marco Vinholi,  afirmou nesta terça que a campanha de Doria não aceitará nenhuma estratégia de última hora. “Nós não podemos aceitar nenhum tipo de estratégia eleitoral a poucos dias da votação das prévias. São mais de 40 mil filiados inscritos, uma grande participação do PSDB nesse processo. Então, o adiamento é absurdo nesse momento”, defendeu Vinholi. 

Ainda não há um balanço final do número de inscritos. Até o dia 11, pouco mais de 28 mil tucanos haviam se cadastrado no app para votar. O número representa apenas 2% do total de filiados do partido, segundo listagem do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Mais da metade dos inscritos são de São Paulo, o que, em tese, poderia favorecer Doria. 

Os tucanos que têm mandatos, como deputados federais e senadores, poderão votar presencialmente, em Brasília, mas, ainda assim, precisam ter feito o cadastro na plataforma. O prazo para essa inscrição terminou no domingo, 14. A eleição será indireta, com colégio eleitoral formado por: 1. filiados; 2. prefeitos e vices; 3. vereadores e deputados estaduais; 4. governadores, vices, senadores, ex-presidentes do partido e deputados federais. Cada um desses grupos tem peso de 25% no total dos votos.

Falhas no app

Desde que o aplicativo foi lançado surgiram reclamações relacionadas a seu funcionamento. O Estadão mostrou na semana passada que, segundo o presidente do PSDB paulistano, Fernando Alfredo, muitos filiados não estavam conseguindo baixar o app por terem celulares antigos, sem memória ou mesmo por não terem pacotes dados suficientes. Existem ainda casos de pessoas que não têm familiaridade com esse tipo de tecnologia ou que tentaram fazer o cadastramento, mas não conseguiram por motivos técnicos.

Para garantir o maior número de adesões, o diretório do PSDB da capital, que está fechado com Doria, montou um mutirão com 20 voluntários para orientar as pessoas sobre como utilizar o aplicativo ao longo do final de semana.  Cerca de 70 pessoas participaram do trabalho. A capanha de Leite fez o mesmo, oferecendo uma estrutura de apoio para quem tinha dificuldades em acessar o sistema.



 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.