Doria é convidado central de jantar com empresários e famosos no Rio

Encontro será na terça-feira na casa de Paulo Marinho, no Jardim Botânico

Roberta Pennafort, O Estado de S.Paulo

26 de outubro de 2017 | 10h47

RIO - Na noite da próxima terça-feira, o prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB) será o centro de um jantar, no Rio, com artistas, intelectuais, arquitetos e empresários dos ramos do entretenimento e do turismo. Entre os convidados, estão pessoas que já frequentavam as festas de Doria antes que ocupasse a Prefeitura, como as atrizes Christiane Torloni e Regina Duarte. Outros,  que declararam ao Estado não ter afinidade ideológica com sua gestão, caso do escultor Angelo Venosa, do casal de produtores de cinema Lucy e Luiz Carlos Barreto e da curadora de arte Vanda Klabin,  chamados, recusaram o convite.

+++ Aliados agora admitem Doria no governo de SP

+++ Doria admite sair do PSDB e descarta prévia com Alckmin

Será a segunda vez em quatro meses que Doria vem ao Rio com esse fim sócio-político. O evento será na casa do empresário Paulo Marinho, no bairro do Jardim Botânico. Com os empresários Ricardo Amaral e o ex-diretor da TV Globo José Bonifácio de Oliveira Sobrinho, o Boni, Marinho já havia oferecido a ele e a empresários cariocas um coquetel em julho, no exclusivo Gávea Golf Clube. Na ocasião, o prefeito fez seu habitual discurso colocando-se como “não político”, “anti-Lula” e gestor incansável. Também falou do que almeja para o futuro do Brasil – sem se dizer explicitamente candidato em 2018.

+++ Doria diz que Alckmin tem o direito de ser candidato, mas quem decidirá isso é o povo

+++ Temer e DEM tentam atrair Doria para a eleição de 2018

+++ Alckmin e Doria se encontram para ‘despressurizar’

Para o jantar da próxima terça, os convites foram feitos pela promoter Patricia Brandão, que foi relações públicas do Copacabana Palace e trabalha em eventos de marcas de luxo. O casal Barreto recusou: “Fui amigo do pai do Doria, mas com o filho não tenho nada a ver ideologicamente. Ele não está à altura nem para ser prefeito, quanto mais, presidente. Demoliu a Cracolândia. Meu voto em 2018 é do Lula. Se ele não for candidato, inventa-se um número (na urna)”, disse Barreto, acrescentando que Lucy pensa de forma “mais radical” do que ele.

+++ Veja quem quer ser presidente em 2018

Angelo Venosa tem posição semelhante. “Não conheço (Doria), não gosto, não quero. Estou nos Estados Unidos, mas se estivesse no Rio não iria, tenho mais o que fazer”, declarou. Vanda Klabin também recusou o convite. “Ele não é meu candidato, e avisei que não iria. Não tenho afinidade, não quero envolvimento”, disse. A estilista Lenny Niemeyer contou que queria ir, mas estará em São Paulo para um lançamento e não poderá comparecer. O casal de apresentadores Angélica e Luciano Huck estará viajando. Também foram chamados membros da Academia Brasileira de Letras (ABL).

“É bom conhecer seus formatos inovadores, de aproximação com empresas privadas, um novo paradigma de gestão. Conheço Doria há muitos anos e não tem ninguém no Brasil que trabalhe mais do que ele”, disse o empresário do setor Luiz Calainho. 


“Não é um jantar de adesões, é para pessoas que estão pensando num Brasil melhor estarem juntas e conhecê-lo melhor”, definiu Ricardo Amaral.

O Estado procurou o gabinete do prefeito, que não mandou resposta sobre a agenda nem comentou as declarações dos convidados.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.