PMSP
PMSP

Doria diz que não é candidato e nem postula Presidência da República

Prefeito de São Paulo está em viagem nos Estados Unidos com o governador Geraldo Alckmin

Ricardo Leopoldo, correspondente, O Estado de S.Paulo

17 de maio de 2017 | 02h18

NOVA YORK - O prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), esclareceu declarações que deu a jornalistas da agência de notícias Bloomberg na terça-feira, 16, em Nova York, quando afirmou que estaria disposto a disputar prévias para a escolha do candidato à Presidência em 2018.

"Eram oito jornalistas da Bloomberg. Eles me indagaram se, numa hipótese, circunstância futura, havendo prévias no PSDB, na circunstância de eu me apresentar, desde que com o apoio do governador Geraldo Alckmin, se eu aceitaria participar desta prévia. Eu disse: nessas circunstâncias, por que não?", afirmou o prefeito a jornalistas após cerimônia em que recebeu o prêmio de Homem do Ano da Brazilian-American Chamber of Commerce.

Apesar da alusão à possibilidade de participar de prévias, Doria voltou a negar que tenha o Planalto como objetivo. "Isso não implica, não significa que eu seja candidato à Presidência da República e nem seja postulante à Presidência da República. O que eu faço e continuo a fazer é ser prefeito da cidade de São Paulo."

Doria disse ainda que esclareceu o conteúdo da entrevista à Bloomberg em conversa com Alckmin, que também está em Nova York e tem a intenção declarada de disputar a Presidência pelo PSDB em 2018. "Eu disse: governador, oito jornalistas me entrevistando é um time de futebol. Um contra oito jornalistas. Ele deu risada", afirmou. "Nada abala minha relação com o governador Geraldo Alckmin. Não há nada que possa mudar a relação harmoniosa, respeitosa, de pessoas que se gostam se respeitam e são amigos."

Doria e Alckmin viajam juntos nesta quarta-feira, 17, para Washington, onde participam de reunião no Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) para tratar de um investimento de US$ 100 milhões na área da Saúde. "Sorte do partido que tem dois integrantes que se gostam, têm afeição, se respeitam. Temos uma relação absolutamente harmoniosa. Nada vai mudar essa relação."

Tudo o que sabemos sobre:
NOVA YORKSão Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.