GABRIELA BILÓ/ESTADÃO
GABRIELA BILÓ/ESTADÃO

Doria diz que derrota de Lula em 2018 'sepultaria vitimização' do PT

Prefeito de São Paulo pelo PSDB, Doria diz que Partido dos Trabalhadores se faz de vítima desde o processo de impeachment de Dilma Rousseff

Ricardo Leopoldo, O Estado de S. Paulo

14 de maio de 2017 | 20h23

Nova York - O prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), disse que "para o País seria bom que a grande derrota de Luiz Inácio Lula da Silva seja a derrota na eleição, democraticamente". "Porque aí sepultamos por completo esta vitimização, que já desde o início do processo de impeachment da presidente Dilma (Rousseff) o PT fez questão de espalhar inclusive pelo mundo".

Segundo o prefeito, "é um negócio inacreditável como gente séria ainda acredita que Lula seja uma pessoa do bem, que Dilma seja uma pessoa do bem, seja uma mulher inteligente, capaz, e quem ela tinha o direito a continuar a fazer o seu mandato roubando e destruindo o Brasil, ou seja, estimulando situações tão condenáveis como aquelas que foram praticadas no Brasil", disse o prefeito.

João Doria na sequência colocou a palavra "roubando" num contexto mais amplo. "Quando eu digo roubando, é deixar roubar. Quem deixa roubar, deixa assaltar cofres públicos não merece respeito, a menor consideração."

Questionado se sua avaliação era a mesma para o ex-presidente Lula, se ele também deixava roubar, o prefeito respondeu. "Sim, a resposta é sim. Claramente, sim. Não só deixou, como sabia. Manifestamente sabia. E mais do que isso, provavelmente determinou, aceitou e orientou. Isso é muito claro."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.