Pedro Venceslau
Pedro Venceslau

Doria diz que definiu pacto de atuação e solidariedade com Bolsonaro

Governador eleito de São Paulo disse que a ideia é 'fazer a defesa do Brasil' e que não se trata de adesão ao governo

Pedro Venceslau, O Estado de S.Paulo

08 Novembro 2018 | 12h58

O governador eleito João Doria (PSDB) afirmou nesta quinta-feira, 8, que definiu um pacto de "atuação e solidariedade" com o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL). Em São Paulo, Doria reuniu os outros dois governadores tucanos eleitos - Reinaldo Azambuja (MS) e Eduardo Leite (RS) - para reforçar o apoio do partido ao futuro presidente. 

O evento, uma entrevista coletiva, selou também um pacto de atuação conjunta do trio no PSDB. Doria alertou que não se tratava de "fazer adesão ao governo, mas a defesa do Brasil". Doria afirmou que na próxima quarta-feira haverá uma reunião com o presidente em Brasília. 

Reinaldo Azambuja, governador reeleito do Mato Grosso do Sul, disse que "apoiar a 'agenda Brasil' não significa adesão ao governo. Eduardo Leite, governador eleito do Rio Grande do Sul, disse que seria pertinente discutir a antecipação da convenção nacinoal do PSDB de dezembro para maio.

No evento, Doria comentou também que "a eleição acabou". "O combate eleitoral às vezes é como final de campeonato. Sempre tem algum arranhão". 

Mais conteúdo sobre:
João Doria

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.