Daniel Teixeira / Estadão
Daniel Teixeira / Estadão

Doria anuncia encontro de 24 governadores para defender democracia e tratar de meio ambiente

Agenda alternativa ao governo Bolsonaro será discutida na segunda, 23, com presença direta e virtual dos mandatários; só três chefes de Executivo não confirmaram participação

Marcio Dolzan e Marcelo Godoy, O Estado de S.Paulo

21 de agosto de 2021 | 18h08

RIO e SÃO PAULO – Governadores de pelo menos 24 estados vão se reunir na manhã desta segunda-feira, 23, no maior encontro de chefes de executivos estaduais desde maio de 2019. A reunião tratará da defesa da democracia e das instituições e da criação de um consórcio para buscar fundos para o meio ambiente e tentará destravar a Reforma Tributária no Congresso.  

“Vamos tratar de democracia. É para os governadores que se sentirem à vontade se manifestarem. Vão defender a democracia, vão defender o Supremo, e vão defender que o País mantenha suas instituições, condenando qualquer flerte ou qualquer iniciativa autoritária no País”, afirmou o governador de São Paulo, João Doria, na tarde deste sábado, 21, enquanto cumpria agenda de seu partido no Rio. 

O encontro dos governadores foi combinado no grupo de Whatsapp de que todos os governadores participam. A proposta do encontro partiu de Doria e de Wellington Dias (PT), governador do Piauí. “A ideia é convidar outros atores, como os presidentes de Poderes, empresários e ex-presidentes em um esforço para pacificar a República. Essa tensão gera insegurança e afugenta investimentos necessários à retomada econômica do País”, afirmou Dias. 

Uma das preocupações dos governadores são as manifestações de bolsonaristas previstas para o dia 7 de Setembro. “Há sinais de que, pela proximidade do 7 de setembro, movimentos sejam promovidos por bolsonaristas, bolsominions e psicopatas que seguem o presidente Bolsonaro, para defender a ditadura e um regime autoritário no Brasil. Nós resistiremos”, disse o governador paulista.

Ele afirmou não ter nada contra os protestos. “Elas são soberanas. Teremos dia 7 e dia 12, dia 12 contra o governo, dia 7 a favor do governo. Mas que elas sejam pacíficas, que elas sejam feitas dentro dos limites que cada Estado, que cada município estabeleceu, para garantir a vida e o direito à manifestação, mas sem rasgar a Constituição ou atentar contra ela ou contra a vida.” 

Fundo

Outro ponto que será tratado tem relação com a ajuda ao meio ambiente. “Os governadores propuseram um consórcio pró-meio ambiente, que vai se chamar Brasil Verde.” disse Dória. O consórcio será uma espécie de fundo que financiará projetos para mitigar as mudanças climáticas no País. Ele deve contar com US$ 330 milhões para investimentos. Os recursos serão dos Estados e de organismos internacionais.

Doria diz que a ideia partiu do governador do Espírito Santo, Renato Casagrande (PSB). Segundo ele, “a Região Amazônica tinha (investimento de fundos internacionais) e perdeu, dadas as circunstâncias do governo Bolsonaro de ter abandonado os compromissos com o carbono zero e os compromissos com o encontro de Paris”.

O tucano não quis dizer quais são os três governadores que não confirmaram a participação no encontro de segunda-feira. “Espero que mudem de ideia”, disse Doria. Por enquanto, 20 governadores participarão de forma virtual, e quatro estarão em Brasília. 

Tudo o que sabemos sobre:
João Doria

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.