Marcos Bezerra/Futura Press
Marcos Bezerra/Futura Press

Dono da UTC cita repasse de R$ 250 mil a Mercadante

Informação consta de planilha entregue por Ricardo Pessoa durante os depoimentos prestados em regime de delação premiada, na qual estão listados repasses a integrantes do PT entre 2010 e 2014

Fábio Fabrini e Andreza Matais, O Estado de S.Paulo

26 de junho de 2015 | 16h33

Texto atualizado às 17h29

BRASÍLIA - O empresário Ricardo Pessoa, dono da UTC Engenharia, apresentou à Procuradoria-Geral da República (PGR) documento no qual lista suposto repasse no valor de R$ 250 mil ao ministro da Casa Civil, Aloizio Mercadante. A informação consta de planilha entregue pelo empreiteiro durante os depoimentos prestados em regime de delação premiada, na qual estão listados repasses a integrantes do PT entre 2010 e 2014.

Conforme a relação, o pagamento a Mercadante foi referente às eleições de 2010. Naquele ano, o petista concorreu, sem sucesso, ao cargo de governador de São Paulo - o eleito foi Geraldo Alckmin (PSDB). 

Na prestação de contas ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Mercadante informou ter recebido duas doações oficiais das empresas de Pessoa, por meio de transferências eletrônicas. Ambas foram de R$ 250 mil, mesmo valor descrito no documento entregue à PGR.

 

A primeira contribuição oficial, do dia 29 de julho, foi feita pela Constran Construções. A segunda, da UTC Engenharia, partiu da UTC Engenharia, em 27 de agosto. 

O documento relaciona ainda três pagamentos à JD Assessoria e Consultoria, do ex-ministro da Casa Civil José Dirceu, condenado no julgamento do mensalão e investigado na Lava Jato. Eles foram pactuados em "contrato de prestação de serviços com José Dirceu". 

 Procurado pelo Estado, o ministro informou que desconhece o teor da delação. "A empresa UTC, por ocasião da campanha ao Governo do Estado de São Paulo, em 2010, fez uma única contribuição, devidamente contabilizada e declarada à Justiça Eleitoral, no valor de R$ 250 mil, conforme demonstrado em minha prestação de contas aprovada pela Justiça Eleitoral", afirmou. "Essa doação foi feita em 27 de agosto de 2010, com recibo eleitoral nº 13001092079", acrescentou o ministro.

O ministro informou ainda que o repasse foi uma doação da Constran, "devidamente contabilizada e declarada à Justiça Eleitoral". 

"A doação da Constran também foi devidamente contabilizada e declarada à Justiça Eleitoral, no valor de R$ 250 mil, conforme demonstrado em prestação de contas aprovada pela Justiça Eleitoral. Essa doação foi feita em 29 de julho de 2010, com recibo eleitoral nº 13001092017", diz a nota. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.