Dono da Gautama teria US$ 9,5 mi em conta na Suíça

O Banco Credit Suisse, investigado pela Polícia Federal por lavagem de dinheiro e evasão fiscal, tinha entre seus principais clientes o empresário Zuleido Veras. O empreiteiro usou a instituição financeira para mandar dinheiro para o exterior e chegou a ter um saldo de pelo menos US$ 9,5 milhões em uma de suas contas secretas, em Zurique.Os documentos que indicam essas transferências foram apreendidos pela PF durante a Operação Suíça, que investiga o Credit Suisse exatamente por lavagem de dinheiro, evasão de divisas e por trabalhar como instituição financeira não autorizada no Brasil.Zuleido, dono da empresa Gautama, foi apontado pela PF, na Operação Navalha (em 2007), como o chefe de uma quadrilha que operava em vários Estados, fraudando licitações e praticando irregularidades com verbas públicas. Já o Credit Suisse é alvo de uma investigação ampla por parte do Ministério Público Federal (leia nota do banco nesta página). Procurados, os advogados do empresário não foram encontrados e não retornaram recados da reportagem.Agora, as investigações apontam para atividades entre o Credit Suisse e Zuleido, que teria transferido dinheiro por meio de doleiros e com o sinal verde do banco. Os documentos obtidos pelo Estado fazem parte do processo sigiloso que corre na Justiça Federal e, em um deles, seu saldo chega a US$ 9,5 milhões no Credit Suisse, em 2000. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.